• Portal G1 de Noticias

Morador atravessa rua em stand up paddle em Ubatuba.

Litoral sofre com alagamentos.As regiões mais afetadas pela chuva em Ubatuba são Ubatumirim, Figueira e Almada. Na Rodovia Oswaldo Cruz houve deslizamentos de terra. São Sebastião também registrou alagamento.

Um morador de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, usou um stand up paddle para percorrer ruas alagadas após um temporal que atingiu a cidade nesta sexta (26). Ele contou que ajudou um grupo de moradores 'ilhados' a sair de um condomínio.Os bairros mais afetados pela chuva, segundo a Defesa Civil, são Ubatumirim, Figueira e Almada. (veja vídeo acima)

Segundo o morador, a chuva durou menos de meia hora nesta tarde, mas foi o suficiente para deixar umas quatro ruas da Praia do Sapê alagadas.

"As ruas mais atingidas foram a 16 e 17. Eu ajudei os moradores que estavam ilhados em um condomínio e fui levando para a rua 18. A água atingiu um metro de altura", avaliou.

Além da enchente, houve queda de árvores na região norte da cidade. Também choveu bastante na região do bairro Sertão da Quina. Na região oeste foram registrados alagamentos na rua Colônia de Férias.

Agentes da Defesa Civil estão faziam, por volta das 19h desta sexta, o monitoramento das áreas afetadas. Ninguém ficou ferido.

De acordo com o Centro de Monitoramento de Desastres (Cemaden), nas últimas 24 horas, foram registrados 113 milímetros de chuva.

A Defesa Civil, apontou que o pluviômetro da região de Ubatumirim foi o que teve maior registro: 272 milímetros em 72 horas. Segundo a prefeitura, a média histórica da cidade em janeiro é de 324,2 milímetros.

Oswaldo Cruz

Um deslizamento de terra às 18h30 interditou a pista de subida da serra da Oswaldo Cruz, na altura do km 81. A polícia fez um esquema 'pare e siga´no local.

Às 20h30, o trânsito segue lento no trecho. Ninguém ficou ferido.

São Sebastião

A chuva que também atingiu São Sebastião desde o início da madrugada desta sexta-feira (26) provocou alagamentos em ruas da Costa Sul e queda de árvore no bairro de Barequeçaba. Até a publicação desta reportagem não havia registros de desabrigados. A Defesa Civil faz informou que faz monitoramento constante das áreas de risco.

Segundo o órgão, os problemas com alagamentos ocorreram também por causa da maré cheia. Segundo o Cemaden, o acumulado de chuva no município nas últimas 24h foi de 85 mm. Segundo o Cptec Inpe, acima de 50 mm de chuva em 20 horas, já é considerada precipitação intensa.

Até às 16h desta sexta foram registrados uma queda de árvore no km 132 da Rio-Santos e queda de árvore sobre rede elétrica no bairro de Barequeçaba.

Quanto aos alagamentos os pontos mais críticos foram na Alameda Mauá, em Boracéia e na avenida Mãe Bernarda, em Juquehy.

Caraguatatuba

Com as chuvas, o nível do rio Guaxinduva subiu e a água invadiu ruas próximas à praia Martim de Sá, em Caraguatatuba. No bairro Getuba, o alagamento assustou os moradores.

"A água não costuma subir aqui, eu não tinha visto. Mas encheu a rua, estamos com medo de que entre nas casas", disse Andréa Pinheiro, que mora no local.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________