• Denise Martins Silveira

Você conhece as 5 liberdades? Tem jeito certo para cuidar do seu pet.

Pensando nisso, em 1979 foi criado o conceito das 5 liberdades. Esse conceito serve para todas as espécies de animais sejam de estimação ou de produção e deve, principalmente, nortear a convivência e os cuidados com os animais de estimação. Conheça agora um pouco mais sobre o conceito das “5 liberdades”.​

Gato e cachorro felizes e relaxados

Hoje em dia, cães e gatos estão tão domesticados que são bastante dependentes dos humanos. Mas, infelizmente, muita gente ainda pensa que é só um animal e sabe se virar. Na verdade, não sabe. Animais que vivem nas ruas têm expectativa de vida muito reduzida. Se forem filhotes então, a possibilidade de aprenderem sozinhos a se cuidar é quase nula.

Mas, nem sempre ter um tutor significa que o animal não sofra ou que seja bem cuidado.

Pensando nisso, em 1979 foi criado o conceito das 5 liberdades. Esse conceito serve para todas as espécies de animais sejam de estimação ou de produção e deve, principalmente, nortear a convivência e os cuidados com os animais de estimação. Conheça agora um pouco mais sobre o conceito das “5 liberdades”.

  1. Estar livre de fome e sede: Os animais devem ter acesso a água, limpa e fresca, e alimento adequados para manter sua saúde e vigor. Portanto, nada de dar restos de comida ou ração de cachorro para gato e vice-versa. Se escolheu alimentar seu pet com ração, escolha a de melhor qualidade, sem corantes e sem conservantes químicos, com o índice de proteína indicado para a idade do seu pet. Se a escolha for por comida caseira, tenha em mente que a dieta deve ser balanceada e desenvolvida por um veterinário nutricionista de acordo com a espécie e idade do pet. E a água é muito importante. Mas não adianta nada oferecer dieta balanceada e água filtrada se não tiver higiene. Por isso, lembre-se de lavar diariamente os comedouros e bebedouros do animal.

  2. Estar livre de desconforto e perigos: O ambiente em que eles vivem deve ser adequado a cada espécie, com condições de abrigo e descanso adequados. Casas e tocas devem ficar em locais abrigados do sol, vento e chuva. Para quem tem cachorro, o espaço para brincar é fundamental. E deve estar livre de riscos de acidentes. Passeios e voltinhas nas ruas, apenas conduzidos pelo tutor, com guia e coleira. Para quem tem gatos, janelas e ambientes telados e seguros são imprescindíveis. E voltinhas nas ruas, nem pensar!

  3. Estar livre de dor doença e injúria: Os tutores devem garantir prevenção, rápido diagnóstico e tratamento adequado aos animais. Portanto, ao perceber qualquer alteração de comportamento no animal ou indício de doenças, leve-o rapidamente para uma consulta com o médico veterinário.

  4. Ter liberdade para expressar os comportamentos naturais da espécie: No caso de cães, isso também implica espaço para correr, brincar, cavar e esconder. E a socialização com outros cães e animais, além de humanos. Já para os gatos, lugares para se esconder e ambientes propícios para brincadeiras que imitem a caça são fundamentais. Além do convívio com outros gatos. Ter a liberdade de latir e miar também faz parte.

  5. Estar livre de medo e de estresse: Não é só o sofrimento físico que precisa ser evitado. Os animais também não devem ser submetidos a condições que os levem ao sofrimento mental e psicológico. É obrigação de todo tutor providenciar para que o pet não se assuste ou se estresse. É lógico que vez ou outra isso acaba acontecendo, como na época de fim de ano com os fogos de artifício. O que deve ser evitado é o estresse e o medo constantes como os causados por uma liderança abusiva.

São apenas cinco pontos que, quando seguidos à risca, contribuem para que o animal seja bem cuidado e viva em segurança. Animais não são brinquedos. São vidas e possuem temperamentos e medos. Sentem fome, frio, sede e insegurança. Sem falar no estresse que a convivência doméstica acaba acarretando.

Ao tutor, cabe a responsabilidade de lhes oferecer conforto e segurança. Sem falar na manutenção da saúde que é dever de todo tutor. Para que isso aconteça, é necessário aliar a liderança positiva e amorosa aos cuidados inerentes à cada espécie. E isso inclui oferecer alimentação de qualidade, manter a saúde e a higiene em dia, manter o pet em segurança e, principalmente, conhecer o temperamento do animal.

Portanto, antes de adotar considere definitivamente se terá disponibilidade financeira e de tempo para cuidar bem do seu animal de estimação.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________