• Fonte: Prefeitura de Ilhabela

Em Ilhabela, audiência pública para apresentar projetos de obras iniciadas após as chuvas é adiada p

A Prefeitura de Ilhabela decidiu adiar para o dia 19 de março a audiência pública para apresentar os projetos de obras iniciadas após as chuvas. O motivo é a conclusão dos trâmites internos.

Paço Municipal Ilhabela

A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, decidiu adiar para o dia 19 de março a audiência pública para apresentar os projetos de obras iniciadas após as chuvas. O motivo é a conclusão dos trâmites internos.

O evento, que seria realizado nesta sexta (9), às 17h, no Paço Municipal, tem o objetivo de apresentar dados e informações sobre as intervenções após avaliação técnica e relatórios apresentados pela Defesa Civil de São Paulo e Instituto Geológico nos locais afetados pelas chuvas.

A ideia é também informar sobre o andamento dos serviços nos locais afetados e também esclarecer qualquer dúvida sobre todo o andamento legal para contratação da execução dos trabalhos.

Os projetos e obras são necessários diante dos estragos provocados pela intensa chuva do dia 14 de fevereiro, que transformou dezenas de locais do município em área de iminente risco, com casas e diversas áreas públicas abaladas pelo volume de água; famílias desabrigadas e regiões interditadas.

Os transtornos registrados na cidade foram grandes e fez com que órgãos especializados em situações emergenciais se deslocassem ao município para avaliar abalos em estruturas residenciais e públicas como ruas, avenidas e pontes. Diante da grave situação, a Prefeitura de Ilhabela (Defesa Civil e Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação), Defesa Civil Estadual e o Instituto Geológico, realizaram , no dia 16, uma avaliação técnica em diversas residências no Morro do Cantagalo, na Vila, e no Alto do Itaquanduba, e na Estrada de Castelhanos, que teve parte avariada, além de outros trechos com desmoronamento; a estrada de acesso ao sul da ilha, que teve parte interditada (sentido centro-sul) devido à erosão na margem; além de desmoronamentos e quedas de árvores em diversos pontos, entre outros. Famílias foram orientadas a deixar as residências por conta do risco de queda e desmoronamento de encostas e barreiras.

Para sanar os graves problemas causadas pelas fortes chuvas (Ilhabela registrou em 14 horas, 165 milímetros de chuva, segundo dados do índice pluviométrico da Defesa Civil; sendo que é considerado normal a quantidade de 25 milímetros por dia), já estão em andamento as obras essenciais, todas dentro de valores praticados pelo mercado. Após os relatórios da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, Defesa Civil Estadual e Instituto Geológico, a Prefeitura realizou projetos emergenciais de recuperação e segue preparando outros.

“Entre as principais obras emergenciais que tiveram que ser iniciadas estão o acesso à Baía de Castelhanos, que se permanecesse interditada prejudicaria toda a comunidade, atrapalharia as famílias de 80 jipeiros que exploram o turismo de um dos maiores atrativos turísticos do arquipélago; a estrada de acesso ao bairros do sul, que teve nove pontos de desmoronamentos apontados pelos órgão competentes, que podem deixar ilhados milhares de pessoas; também o desassoreamento do Rio da Água Branca e, por fim, as obras para salvar vidas e casas nos bairros Morro dos Mineiros e Cantagalo, Núcleos de Regularização Fundiária”, explicou o secretário de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, Luiz Paladino.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________