• Da redação

Prefeitura de Ubatuba suspende curso extensivo "Acesso para todos" e acaba com o sonho de

Revoltados com a decisão arbitrária que anunciou o encerramento das aulas, cerca de 1.200 jovens se mobilizaram na assinatura de abaixo assinado e manifestações na redes sociais para evitar o fechamento do curso.

Aspirantes à carreira de medicina na USP, engenharia no ITA e Enfermagem na Federal de Juiz de Fora são alguns dos exemplos de perfis de jovens que tiveram seus sonhos e aspirações prejudicados pela suspensão, pela Prefeitura de Ubatuba, do curso técnico “Acesso para Todos”, implantado na Escola Anchieta.

O cursinho, que demonstrou resultados positivos, teve suas atividades encerradas sob a alegação de que a Prefeitura não possui responsabilidade legal e constitucional para a continuidade e manutenção do serviço prestado aos jovens.

Revoltados com a decisão arbitrária que anunciou o encerramento das aulas, cerca de 1.200 jovens se mobilizaram na assinatura de abaixo assinado virtual e presencial e manifestações na redes sociais para evitar o fechamento do curso.

O jovem Eric Paolo, ex-aluno do cursinho, ocupou a Tribuna Popular na 6ª sessão de Câmara, mesmo após a prefeitura ter anunciado o reestabelecimento parcial do serviço (curso intensivo aos sábados). Segundo ele, os jovens continuarão lutando pelo cursinho em todas as suas modalidades. “Queremos a volta do Cursinho em todas as suas modalidades, pois sabemos que quando há vontade política, os gestores públicos arranjam recursos e meios para atender à população”. Com uma população jovem extremamente sem perspectiva na cidade, o cursinho é o melhor investimento para que jovens, em sua maioria de baixa renda, possam ter um futuro acadêmico. Com extrema lucidez administrativa, Eric afirmou que o investimento para a retomada do serviço é tão baixo que o corte de dois cargos comissionados (cargos de confiança do prefeito), com salários de cerca de R$ 4 mil reais/mês, seria o suficiente para retomar o serviço em sua plenitude. A prefeitura anunciou em suas redes sociais a retomada do cursinho aos sábados (intensivo) mas o cursinho durante a semana (extensivo) atendia cerca de 140 alunos por ano e tinha carga horária de 30 h semanais. O cursinho oferecido agora atenderá cerca de 105 alunos, pois ocorrerá no auditório do Tancredo, e possuirá carga horária de apenas 8 h semanais. “Os jovens de baixa renda de Ubatuba não têm perspectiva de entrar na universidade. Investir nesse cursinho é demonstrar que os governantes estão preocupados com o futuro. Diminua gastos com cargos comissionados, publicidade e programas que tragam apenas mídia sem retorno efetivo para a população e retorne as atividades do cursinho em suas duas modalidades. O retorno é uma obrigação moral e ética desse governo que cortou esse serviço”, bradou o estudante.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________