• Raell Nunes, Tamoio News

Parquinhos e academias públicas de Ubatuba sofrem por falta de manutenção

O que antes eram locais para lazer e atividade esportiva, agora estão em completo abandono e oferecem riscos à saúde de crianças e usuários.

Os parquinhos destinados às crianças de Ubatuba e turistas, assim como as academias ao ar livre, estão sofrendo com a falta de manutenção e gerando reclamações. Depoentes dizem que as instalações então enferrujadas e “largadas” há tempos e o poder público não executa nenhuma providência.

Dois parquinhos estão em situações mais desfavoráveis à diversão e lazer: o do Parque dos Ministérios (região oeste) e o principal da cidade, que fica no Centro, nas imediações da Avenida, ponto de circulação de muitas pessoas e de vários comércios nas redondezas.

O espaço infantil no Parque dos ministérios está defasado. Lá, os brinquedos, como a cadeira de balanço feita com corda e madeira, dividem espaço com o mato alto, lama e muito lixo. Não há mais pintura nos brinquedos. O local de recreação fica ao lado da Escola Municipal Madre Maria da Glória.

A situação do Parquinho no Centro do município não é muito diferente. A reportagem visitou o local e constatou pregos soltos no meio da escadinha que dá acesso a casinha de brinquedo. Havia um fio de aço solto no meio dos divertimentos infantis, além de materiais quebrados na localidade.

“Levei meus sobrinhos no Parquinho [do Centro] e foi lastimável, não tem a mínima segurança. Decidi não levar mais até que alguém resolva essa situação. Alguém vai se machucar lá”, diz Cícero Alves Coelho, 29.

Mãe de três filhos, Andrea Briet Matos, 34, não leva mais a sua filha mais nova, de 8 anos, ao parquinho do Parque dos Ministérios. “Primeiro porque tem muito lixo, segundo porque os brinquedos estão caindo aos pedaços”, reclama a moradora.

Academias

No bairro Silop há uma academia ao ar livre, assim como no Jardim Carolina. No entanto, as duas academias estão com os aparelhos enferrujados. Sem contar que nos arredores do espaço há mato alto, o que impossibilita qualquer atividade física.

Para Wesley Silva Lima, 26, é muito importante que haja um lugar para fazer atividades físicas, mas o mesmo precisa estar em boas condições. “No começo, aqui no Silop, a academia era boa, vinha até um pessoal que jogava futebol no campinho [ao lado] . Mas agora ninguém dá as caras”, relata.

De acordo com Prefeitura de Ubatuba, por meio da Secretaria de Serviços de Infraestrutura Pública, foi feito um levantamento e, agora, será programada uma ação para manutenção dos parquinhos e equipamentos de ginástica.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________