• Fonte: Prefeitura de Ilhabela

Obras no aterro da Água Branca, em Ilhabela, seguem em ritmo acelerado

Serviços de revitalização, drenagem e pavimentação asfáltica beneficiarão a comunidade e o meio ambiente.

Foto: Divulgação/PMI

A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, continua os trabalhos das obras de revitalização, drenagem e pavimentação asfáltica do aterro sanitário, na Água Branca.

Ao todo serão 3 mil metros quadrados de pavimentação ao custo de R$ 1,3 milhão, um valor 36% menor do que o apresentado do início da licitação até o seu final.

Para o prefeito Márcio Tenório, o trabalho a ser executado demonstra o respeito da atual gestão não apenas pela comunidade, mas também pelo meio ambiente. “Essa importante obra demonstra transparência e que os recursos tem chegado aos bairros do município. Estamos cumprindo o compromisso assumido com a população”.

Qualidade de vida

A iniciativa promoverá uma melhor qualidade de vida para os moradores do bairro, uma vez que solucionará o problema de saúde pública gerado pela poeira provocada pelo tráfego dos caminhões em tempo seco, e pelo lamaçal, em época de chuvas.

Para amenizar a situação do pó, que prejudica as vias respiratórias, é jogado água na rua diariamente. Com esta iniciativa, toda comunidade do entorno do aterro sairá ganhando, a exemplo, ainda, das quatro escolas instaladas na região, três municipais e uma estadual,

O meio ambiente também terá o seu ganho, uma vez que haverá uma compensação ambiental com o plantio de mudas nativas para manter as espécies já existentes e até triplicar o número de árvores que poderão servir de alimento para a fauna local.

Toneladas de lixo

Pioneiro em algumas ações, como a utilização de rampa de transbordo e transporte do material, o aterro ilhéu mantém, logo em sua entrada, a sede da Cooperativa e o Centro de Triagem onde trabalham 25 cooperados. Nas imediações há ainda a balança onde todo o material recolhido no município, como podas, resíduos de construção civil, recicláveis e lixo orgânico são devidamente pesados e as duas carretas que permanecem estacionadas na área de transbordo recebem, individualmente, de 23 a 26 toneladas de lixo/dia. Em janeiro deste ano, foram registrados pela balança, 1.745 toneladas de detritos.

Parte do material destinado ao aterro é reciclado e utilizado pela Administração em obras públicas como pavimentação de ruas e jardinagem, a exemplo dos resíduos de construção civil e podas de árvores.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________