• Da redação

Renúncia inexplicada abala transparência do Governo Sato

"Eu vim para ficar”. Essas foram as palavras do então presidente da Comtur, Jailton dos Santos, que ocupou durante pouco mais de três meses a presidência da companhia. Na próxima quarta-feira (09), a Comtur, em assembleia geral, escolherá um novo presidente.

Foto: Divulgação/Comtur

Em fevereiro deste ano, o até então presidente da Comtur, Jailton dos Santos, afirmava publicamente: "as trocas de cargo oxigenam a máquina e são uma evolução para o governo". O ex-chefe de governo e braço direito do prefeito na campanha de 2016, era contundente em dizer que havia chegado na Comtur e lá permaneceria. "Eu vim para ficar “, essas foram as palavras de Jailton quando de sua nomeação para a presidência da Companhia Municipal de Turismo, responsável pela arrecadação de mais de R$ 4.5 milhões/ano (dados de 2015). Porém, a realidade que se seguiu foi outra. Marcada para acontecer no próximo dia 09 de maio, a Assembleia Geral da Comtur, deliberará novamente sobre a escolha de um novo nome para presidência da empresa. Jailton, que esboçava uma gama de planos administrativos para a companhia e prometia a transparência absoluta na divulgação dos resultados sobre arrecadação nos anos de 2016 e 2017, silenciosamente renunciou à chefia da Comtur em 2 de abril, tendo permanecido pouco mais de três meses à frente da direção da empresa. Tidas como faltas graves pelo então presidente, Jailton declarou que regularizaria pontos obscuros da administração, tais como: a falta de prestação de contas dos valores arrecadados pela zona azul, a inexistência de prestação de contas da receita arrecadada com ônibus e vans de turismos, bem como o número exato das vagas de Zona Azul existentes em Ubatuba. Porém, com a renúncia anunciada e sem explicação alguma sobre sua saída da presidência, o ex-secretário, que não ocupa mais posição no primeiro escalão do governo Sato, voltou a exercer funções administrativas na prefeitura e deu as costas às promessas de transparência feitas no início do ano. Ao contrário de Jailton, Andrade de Souza, o presidente que o precedeu Companhia, ocupou a Tribuna da Câmara, em fevereiro, para prestar contas de seu mandato. Nessa ocasião, Andrade se dirigiu ao prefeito Délcio Sato, da seguinte forma: "Até fico admirado quando a pessoa trabalha bastante e é transparente. A minha conta bancária está aberta para qualquer um. E para qualquer autoridade pegar meu holerite no banco para analisar a minha situação financeira”, disse o ex-presidente. Andrade afirmou que o prefeito “tem que se rodear mais com pessoas sinceras e transparentes, que falem a verdade sempre.” Atualmente, a Companhia Municipal de Turismo - Comtur, arrecada a Zona Azul nas áreas centrais do município e praias de Ubatuba. Até o presente momento, o portal de transparência da empresa não possuía atualizações da arrecadação desses valores, bem como a prestação de contas das outras receitas e despesas relacionadas ao turismo na cidade e que ficam ao cargo da companhia.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________