• Fonte: Paraty.com.br

O Sesc Paraty recebe a Mostra Cena Ao Redor

A mostra, que acontece entre os dias 15 a 19 de maio, apresentará espetáculos que refletem o rico e diverso território da região, por meio de trabalhos sensíveis aos dilemas das cidades.

Foto: Richard Carneiro

Em outubro de 2017, o CENA AO REDOR, projeto do Sesc Paraty, mapeou parte da cena teatral das regiões Centro-Sul e Sul do Rio de Janeiro. Mais de vinte representantes de grupos de teatro tiveram a oportunidade de debateram, escutaram, vivenciaram práticas e processos teatrais. Em 2018, o Sesc Paraty, dando continuidade a esta ação de fortalecimento territorial, abre a roda e convida a todos para assistir a atual produção teatral do Vale do Café, Vale do Paraíba e Costa Verde, representada por estes grupos. A Mostra CENA AO REDOR, que acontece de 15 a 19 de maio, apresentará espetáculos que refletem o território que vivemos: rico e diverso, por meio de trabalhos sensíveis aos dilemas das nossas cidades. Cena ao Redor Qual o papel da arte na periferia? Quem são os grupos de artes cênicas que atuam nesses territórios? Qual o impacto de seus trabalhos no território onde vivem? Quais são os fundamentos dessa atuação? O encontro Cena Ao Redor propõe um espaço de reflexão acerca das Artes Cênicas, tendo como perspectiva central a construção de práticas e pensamento sobre a cena teatral na atualidade, agregando atores culturais das regiões do Vale do Paraíba, Vale do Café e Costa Verde, interiores do Rio de Janeiro. Cena Ao Redor apoia-se na visão “ao redor” e do que "arrodeia" para refletir sobre história cultural, representação local e identidade periférica, propondo uma visão além do território midiático. Vamos conhecer a Cena Ao Redor? Programação Mostra Cena Ao Redor 15 de maio, terça-feira 16h - A História de Zé Capricó e Bananéia (60 min) - Classificação Indicativa Livre - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 16 de maio, quarta-feira 16h - O que se leva da vida (60 min)- Classificação Indicativa Livre - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 20h - Mariana Crioula, um grito de Resistência (1h20)- Classificação Indicativa Livre - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 17 de maio, quinta-feira 16h - Além da cortina (75 min) - Classificação Indicativa 14 anos - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 20h - De La Mancha do Sertão (50 min) - Classificação Indicativa Livre - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 18 de maio, sexta-feira 20h - Verão (60 min) - Classificação Indicativa 16 anos - Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I 19 de maio, sábado 10h - Viagem à Baía dos Reis (60 min)- Classificação Indicativa Livre - Cais no Centro Histórico 17h - Estamos em obras (30 min) - Classificação Indicativa Livre - Largo de Santa Rita Todas as atividades são gratuitas Mais informações pelos números do telefone: (24) 3371-4516 e 3371-8415 Página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/260297844513245/ Sobre os espetáculos A História de Zé Capricó e Bananéia (60 min) com Grupo MULTIPLICATORES, de Paulo de Frontin, - 15/05, 16h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto de Marcelo de Freitas Atores: Erildo Andrade - Thais Ávila - Marcelo de Freitas - Lindiana Pereira - Gabriel Santana - Alan Brum - Yasmim Moreira - Mayara Carvalho A história de um homem simples que sai de sua cidade pequena fictícia chamada Santantália no sertão do Nordeste em busca de uma vida melhor para sua família em uma cidade nordestina maior fictícia Lagoa Aberta, mas sozinho, semi analfabeto, não consegue emprego e perde contato com sua família por dois anos. Seu único amigo é um palhaço de rua e apesar de não acreditar na palhaçaria como profissão, é ela que lhe dá recursos para voltar para sua casa. Entre toda essa vida turbulenta, a paixão de Zé Capricó e Bananéia continua muito forte mesmo com toda a distância. O espetáculo é uma grande homenagem a Leandro Gomes de Barros. O que se leva da vida (60 min), com o Grupo Diletante, Angra dos Reis - 16/05, 16h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto coletivo Grupo Diletante Atores: Felipe Santana - Fernando Messias - Gabriel Vasconcelos - Jamile Lisboa - Juliette Lima - Paloma Amorim O Que Se Leva da Vida é um espetáculo que explora confusões e anseios de atores que através de jogos e exercícios teatrais, conta estórias cotidianas trazendo a partir delas reflexões esátiras sobre a vida, política, sonhos e uso da tecnologia. Tudo isso de maneira dinâmica, bem humorada e divertida, com cenas inspiradas ou adaptadas em obras de autores como Gil Vicente, João Falcão e Luiz Fernando Veríssimo, apresentadas a partir de uma linguagem própria do Coletivo Diletante. Mariana Crioula, um grito de Resistência (1h20) com o Grupo Celeiro das Artes, Paty de Alferes - 16/05, 20h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto, direção e concepção de Ricardo Andrade Vassíllievitch/Direção de Produção de Jefter Paulo/Produção de Márcio Telles. Atores: Sirleia Aleixo, Thalyssiane Aleixo, Thayane Aleixo, Luana Makeda, Lorena de Angola, Jefter Paulo e Eva Zanay. O espetáculo teatral “Marianna Crioula, um grito de resistência” vem comemorar os 130 anos de abolição da escravatura e reconhecer os negros escravizados, como heróis da resistência, entre eles está Marianna Crioula, condecorada como heroína brasileira em 2010 pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Marianna Crioula participou da maior fuga de escravos ocorrida em 1838, é uma voz que surge resistente em meio à atrocidades cometidas contra os negros em nosso país. Marianna Crioula é uma personalidade histórica, feminista, emancipada e que gravou na memória de nosso país o seu brado de resistência: "Morrer sim, se entregar nunca!" Além da Cortina (75 min) com o Grupo Cenas Em Cena, Mendes - 17/05, 16h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto coletivo Grupo Cenas em Cena/Direção de Ruan Porto/ Lucas de Paula Atores: Maiara Fontes , Luiz Felipe, Fábio Janini, Cleudir Oliveira, Geraldo Del Rei A vida de um diretor de teatro que luta para manter de pé sua companhia e terá que enfrentar as críticas dos seus próprios companheiros, a desvalorização da sociedade em relação ao teatro e descobrirão que só juntos poderão chegar a algum lugar. De La Mancha do Sertão (50 min) com o Grupo Loucomotivos, Paulo de Frontin, 17/05, 20h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto de Cássio Braga/Direção de Marco Giovani Atores: Matheus Sá - Marco Giovani O espetáculo De La Mancha do Sertão se passa no nordeste brasileiro, onde um homem chamado Severino, sempre apaixonado por obras literárias, de tanto aprofundar-se em toda magia produzida pela literatura e por deslumbrar-se com as histórias que lia, cria um universo paralelo a realidade na tentativa de escrever uma nova história, vivendo-a. Severino, em um total devaneio intitula-se “Dom Quixote do Sertão” e chama seu amigo Sancho para ser seu fiel escudeiro, oferecendo-o vários benefícios. Sancho, a princípio é relutante a idéia, mas acaba por aceitar a proposta. Assim, partem Quixote e Sancho em busca de aventuras e batalhas, sempre imaginárias. Verão (60 min) com o Grupo Etapa, Paty do Alferes - 18/05, 20h, na Unidade Sesc Silo - Rua D, 30 - Vila D. Pedro I Texto de Marcelo Basbus Mourão/ Direção de Samuel Costa Atores: Marcelo Basbus Mourão e Thedy Pontes Com 5 anos de convivência, Maurício e Eduardo vivenciam todas as fases de um relacionamento não faltando a análise do lugar comum da relação. Dedicados à produção cultural Maurício é diretor e Eduardo, roteirista. Maurício decide viajar para os Estados Unidos com o objetivo de participar de um curso de atualização na área de cinema, deixando Eduardo no Rio de Janeiro, por um ano. A viagem é recebida por Eduardo como fuga da relação e Maurício discorda, defendendo a idéia de que a viagem é, em primeiro lugar, oportunidade profissional e também um tempo para tentar avaliar a relação. A partir da chegada de Maurício no Aeroporto, um ano depois da viagem, a peça narra diversos momentos do passado, presente e futuro, com muita poesia, emoção, realidade e reflexões do dia a dia. Verão é mais que uma estação, é também uma forma de amar, fotografando o lugar comum de todas as relações. Viagem à Baía dos Reis (60 min) com o Grupo Cia. Da Lua, Angra dos Reis, 19/05, 10h, no Cais no Centro Histórico Texto e Direção de José Miguel Filho Atores: Bruno Marques - Felipe Santana - Mauro Nask - Paloma Amorim Músicos: Moacir Saraiva (regência) - Augusto Lima - Jorge Moreno O espetáculo conta de maneira alegre e descontraída os principais fatos, as lendas e o folclore de Angra dos Reis e da região. Com personagens irreverentes e cômicos que interagem com o público em cenas pra lá de divertidas. A Peça narra à história de Angra e região, as características do habitat indígena, a chegada dos Portugueses em 1502, o contato dos índios com os homens brancos e o processo de colonização e formação cultural de seu povo. Estamos em obras (30 min) com o Grupo Sala Preta, Barra Mansa - 19/05, 17h, no Largo de Santa Rita Texto coletivo Grupo sala Preta/ Direção Musical de Bianco Marques Atores: Bianco Marques, Carla Marques, Danilo Nardelli, Jéssica Kely, Renata Andrade e Viviane Saar. Uma obra pública mobiliza uma cidade revelando suas relações de poder. Do buraco no meio da rua, emergem novos conflitos. Artistas forasteiros aproveitam a oportunidade para se apresentar. O Sala Preta compartilha, em ensaio aberto, seu processo de pesquisa iniciado em 2017, para a construção de uma obra inédita. Desculpem o transtorno: estamos em obras!

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________