• Da Redação

Lugar de gato é dentro de casa

A eterna dúvida que tira o descanso de todo tutor de gatos: deixar ou não o gato livre para dar suas voltinhas na rua?

A resposta é muito mais simples do que parece: Não. Definitivamente, não. Isso se você quer que seu gato leve uma vida saudável e de longa duração.

É lógico que para quem vive em apartamento, a dúvida é bem menos cruel. Mas, quem mora em casa e é tutor de gatos pode viver na indecisão entre manter os gatos dentro dos muros da residência ou deixá-lo ir para a rua exercitar seu lado livre e seu instinto de caça.

Mas, apesar de todo mundo achar que gato é esperto e rápido, a rua esconde perigos que os tutores, às vezes, nem fazem ideia.

Não é só o perigo dos atropelamentos (é, acredite, um dos acidentes mais comuns com gatos), brigas com outros animais e dos envenenamentos. Existem também a exposição aos vírus de doenças incuráveis e letais, tão temidas pelos tutores: PIF (peritonite infecciosa), FeLV (leucemia felina) e FIV (imunodeficiência viral felina). As duas primeiras são transmitidas por contato direto entre os gatos (lambidas, por exemplo) e a FIV é transmitida através de mordidas, numa briga por exemplo. Apesar de incuráveis e fatais, no Brasil existe vacina apenas contra a FeLV.

Gatos não vacinados também estão expostos às doenças mais comuns e fáceis de serem transmitidas nas voltinhas pelas ruas, como a Rinotraqueíte Viral Felina que pode não só trazer grandes problemas para gatos adultos, como ser fatal para gatos filhotes. A boa notícia é que ela pode ser facilmente prevenida pela vacinação.

Sem falar que, na rua, os gatos contraem muito mais facilmente pulgas, carrapatos e sarna. Pulgas e carrapatos não são inofensivos, transmitem doenças. E a sarna, além de debilitar o animal, acaba causando incômodos também para os tutores e a família deles já que, dependendo do tipo, é uma zoonose, ou seja, uma doença que passa do animal para o ser humano. Sem falar, no trabalho e nos altos custos do tratamento.

Outro problema das ruas é que gatos não castrados contribuem diretamente para o descontrole populacional e, consequentemente, para o aumento dos animais abandonados.

Os perigos da caça

Gatos que têm acesso às ruas também estão mais expostos a contraírem doenças transmitidas pela caça. Pequenos roedores e aves podem ter em suas carnes um protozoário que transmite a toxoplasmose. Que também é uma zoonose.

Além disso, para tutores que se preocupam com o equilíbrio da fauna, é importante saber que os gatos livres e soltos, contribuem para a diminuição do número de passarinhos. E à toa, já que a maioria caça por pura diversão.

A crueldade humana não tem limites

Mas, todos esses perigos acima não são nada perto do que o homem pode fazer. E não adianta pensar que seu vizinho amável não se importa com as voltinhas de seu gato pelo quintal dele. Infelizmente, alguns se importam sim. E desses alguns, uns poucos gostam de exercitar a crueldade nata eliminando os animais da vizinhança. Uma pessoa de bom coração nunca conseguirá entender porque um ser que se diz humano faz isso ou como tem capacidade para tal ato. Mas infelizmente, envenenamentos e outras formas de crueldade com animais são bastante comuns. E os gatos são animais muito atingidos por essas pessoas cruéis.

Enriquecimento ambiental é a chave para gatos felizes e saudáveis

Gatos podem ser felizes dentro de casa desde que os tutores promovam o enriquecimento ambiental: utilize vários brinquedos e troque-os com frequência já que os gatos têm a tendência de enjoar rapidamente, use prateleiras para escalar, as caixas de papelão de vários tamanhos e com furos podem ser utilizadas para ele se esconder e os arranhadores são uma ótima pedida para manter seus móveis e cortinas intactos. Use a criatividade e crie brinquedos com rolos de papelão (pode ser aquele que vem no meio do rolo do papel toalha ou do papel higiênico) ou bolinhas de papel ou meia, os gatos adoram. Incentive que ele escolha lugares como gavetas e armários para utilizar como esconderijo. Se você mora em apartamento, não esqueça das telas nas sacadas e janelas. E se você mora em casa, além das telas nas janelas, considere telar uma pequena área, como uma varanda, lavanderia ou um pedaço do quintal para que ele tenha acesso ao ar livre sem precisar sair de casa. O banho de sol é muito importante para a saúde dos animais.

Jardim sensorial

Outra ideia, ainda mais interessante para os gatos, é construir uma estrutura de madeira ou aço, completamente telada nas laterais e no topo, adjacente à uma janela (esta não telada para que o gato possa ter acesso à área) e transformar esse espaço num jardim sensorial para os gatos. Gatos adoram plantas. Use e abuse das plantas que podem ser úteis para o gatinho como a catnip e a grama para gatos nesse espaço. Se preferir, pode fechar o topo com um material impermeável, como vidro ou poliuretano, para que o espaço possa ser utilizado pelo pet inclusive em dias de chuva. Mas fique atento para não colocar nenhuma planta tóxica para os gatos nesse espaço.

Para evitar traumas, acostume seu gatinho desde filhote a não ter acesso à rua.

Para aqueles que já estão acostumados a dar suas voltinhas, o tutor pode tentar acostumar o animal a passear de coleira. Para isso, faça o treinamento sempre dentro de casa. Peitorais são a melhor opção. Os gatos levam, pelo menos, 15 dias para se adaptarem à uma nova situação. Faça o treinamento todos os dias durante esse período até ele se acostumar. Depois, passe para os passeios na rua. Lembre-se de aumentar a distância gradualmente e sempre retornar para casa quando sentir que ele está se estressando.

Mas se não tiver outro jeito...

Para os tutores que não acham possível manter seu gatinho dentro de casa, as dicas a seguir podem ajudar a minimizar alguns riscos: mantenha sempre o animal protegido contra pulgas, carrapatos e sarnas, mantenha o vermífugo sempre em dia, castre seu gatinho, mantenha a vacinação em dia e não corte as unhas do seu gato (além de mecanismo de defesa, elas são úteis para o animal escalar superfícies e evitar o ataque de outros animais). Além disso, mantenha o peso do animal em dia. Gatos obesos são pegos com mais facilidade. Só não dá para evitar as doenças para as quais não existe vacina, os atropelamentos e a crueldade do ser humano. Para isso, só mesmo mantendo o gatinho feliz e saudável dentro de casa. A decisão é sempre do tutor. Nunca do animal.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________