• Da Redação

Para se cuidar de um animal é preciso mais que boa intenção. Receitinhas caseiras não curam doenças.

Seja por inexperiência ou por puro desconhecimento, os tutores cometem erros quando o assunto é cuidar bem do pet. Na maioria das vezes, com a melhor das intenções.

Cachorro e gato com carinha feliz

Cuidar de um animal de estimação, seja ele qual for, hoje em dia é uma tarefa bastante facilitada. Seja pelo empenho dos tutores ou pelas facilidades e variedade de produtos que se pode encontrar no mercado. Mas, mesmo com todas as informações disponíveis e todos os produtos que melhoram a saúde e o bem-estar dos animais, os tutores ainda cometem erros que prejudicam bastante e podem, inclusive, diminuir a expectativa de vida do pet. Hoje vamos conversar sobre dois erros bastante frequentes.

O primeiro deles é adotar, comprar ou resgatar um animal das ruas e não levar no veterinário. A primeira consulta do pet é fundamental. Sejam os tutores de primeira viagem ou não. Essa primeira consulta, além do médico veterinário avaliar a condição física do pet, também serve para que os tutores esclareçam todas as dúvidas que possam ter sobre como cuidar do pet e como irá se desenvolver o dia a dia com o animal.

Porque, querendo ou não, a rotina muda. E, em alguns casos, da água para o vinho.

Por isso, nessa primeira consulta, use e abuse da boa vontade do médico veterinário. Faça todas as perguntas que gostaria de ver respondidas.

Vá preparado, leve uma listinha de casa. Esclareça todas as suas dúvidas sobre alimentação, cuidados para evitar pulgas e carrapatos, castração, plantas que você pode ter em casa e as que precisa evitar, objetos e produtos que você precisa evitar ter em casa ou utilizar na presença do pet, produtos seguros para o animal, cuidados durante o passeio, quantidade e necessidade de exercícios físicos, atenções básicas nos primeiros dias na nova casa, cuidados básicos com o pet de acordo com a espécie, comportamentos que você deve esperar e para os quais deve estar preparado e tudo o mais que você tiver dúvida e queira esclarecer.

Se você nunca teve um pet antes, seja honesto com o veterinário. Não tem nada demais admitir a ignorância. E se você já teve algum pet, é também a hora de relembrar ou ficar sabendo sobre o jeito certo de se tutelar um pet. Não se esqueça também de pedir o telefone ou celular do veterinário caso precise de ajuda para alguma emergência.

Receitas caseiras e produtos inadequados prejudicam a saúde do animal

Outro erro que os tutores incorrem, na maioria das vezes por total ignorância é o de utilizar receitas caseiras ou produtos indicados por outras pessoas. Mesmo que essas pessoas tenham a melhor das intenções, ao fazer uso dos produtos, o tutor pode estar comprometendo a saúde do pet sem saber. Mesmo porque, além da causa do problema, é preciso também levar em conta o estado de saúde geral do animal. A pessoa pode até alegar que usa o produto ou a receita há anos nos próprios animais que tutela e sempre com bons resultados. Mas, de verdade, ela pode estar prejudicando a saúde dos animais sem ao menos saber que isso está acontecendo. E quando eles apresentarem os sintomas de qualquer doença, ela não será capaz de fazer a ligação entre a doença e o produto/receita que utilizou durante anos para tratar pulgas, carrapatos, sarna, etc.

Muito menos achará que que aquele inseticida eficaz que ela usou em casa foi a causa do câncer ou da doença autoimune do seu pet. Não existem receitinhas mágicas. O que existem são produtos indicados para utilização em cada espécie. Eles são testados e dosados de acordo com o porte e a espécie do animal e devem ser utilizados exatamente como indica a bula ou a embalagem. Sendo assim, produto para cavalo não serve para cão ou gato, nem os que são indicados para bois e vacas. Mesmo que o princípio ativo seja o mesmo, o veículo ou os outros componentes químicos presentes no produto podem fazer mal para cães e gatos.

Quiabo não cura doença, óleo usado não cura sarna e vinagre com álcool não mata pulga

E é bom todo tutor, esclarecido ou não, saber disso. Na melhor das hipóteses, o uso das receitinhas é inofensivo, mas também ineficaz. Na pior, prejudica o bem-estar do animal e acaba piorando a enfermidade, dificultando o tratamento.

Doenças devem ser tratadas com medicamentos, sejam alopáticos, fitoterápicos ou homeopáticos. E qualquer medicamento precisa ser utilizado de acordo com a prescrição do médico veterinário.

O único profissional habilitado para cuidar da saúde de animais de estimação é o médico veterinário. E só ele é que pode indicar os melhores cuidados que você deve ter para manter seu pet saudável e promover uma vida mais longa. Ah, mas custa caro a consulta! Custa, mas se você não pode pagar, não devia nem pensar em adotar um animal de estimação. Quando você fica doente não vai num curandeiro, na benzedeira ou na vizinha, né? O mesmo vale para os pets.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________