• Fonte: Paraty.com.br

Programação principal da Flip 2018 é divulgada em coletiva de imprensa

Mauro Munhoz, Belita Cermelli e a curadora Josélia Aguiar falaram como será o evento deste ano.

Apresentação da programação principal da Flip 2018 - Foto: Divulgação/PMP

Na manhã de 05 de junho de 2018, no belíssimo prédio da Pinacoteca de São Paulo foi divulgada, em coletiva de imprensa, a programação da FLIP 2018.

Mauro Munhoz, Belita Cermelli e a curadora Josélia Aguiar falaram como será o evento deste ano. Veja alguns destaques:

A FLIP voltará a ter uma tenda própria com 500 lugares. Ela terá um formato novo e estará localizada no estacionamento ao lado da Igreja da Matriz. Será uma meia arena em volta do palco com uma maior inclinação.

A Tenda da Praça permanecerá aberta e gratuita. Na Praça também permanecerá o Educativo da FLIP, os pés de livros e, na quadra, a Livraria e a Tenda dos Autógrafos.

Mauro destaca que neste ano aumentou o número de casas parceiras, que até agora já conta com 20 e ainda deve aumentar. Algumas casas novas como EUNIC (institutos culturais europeus) e a Casa de Não Ficções já estão confirmados, além dos já conhecidos SESC (com 3 espaços), a Editora SESI e a Casa do Papel. O instituto Hilda Hilst terá espaço em sobrado em frente à Praça.

A Belita falou sobre o projeto educativo que já está fazendo um trabalho junto às escolas e bibliotecas da cidade de Paraty. A temática tratada se refere às questões de memória, identidade, patrimônio e território. A produção cultural elaborada pelas crianças e jovens será apresentada à comitiva da UNESCO que visitará a cidade em setembro, devido à candidatura de Paraty como Patrimônio da Humanidade.

Mauro lembrou ainda que neste ano há uma rica programação pré-FLIP, com um perfil mais acadêmico, que contará com 12 encontros, sendo 8 em São Paulo e 4 no Rio, sempre em parceria com o SESC.

A curadora Josélia Aguiar apresentou cada uma das mesas com seus autores. Mas, ela destacou alguns pontos relevantes:

A proposta de manter um equilíbrio entre a presença de autores homens e mulheres se mantém, assim como o cuidado com a representatividade de negros. Mas, ela também salienta que não quer mais que este fato seja considerado como uma notícia principal.

A mesa que contará com a escritora portuguesa Maria Teresa Horta terá um formato inusitado: a escritora participará através de vídeo e as mediadoras brasileiras lhe farão perguntas, assim como também responderão ás suas indagações.

Outra novidade é que haverá algumas mesas com a presença de 2 mediadores e um escritor, abordando diversas facetas.

A pluralidade dos convidados da FLIP também é um detalhe que Josélia reforçou: haverá, além de escritores, atores, compositores, fotógrafos e cineastas.

O equilíbrio e o diálogo entre autores veteranos e estreantes também faz parte de sua proposta de curadoria.

O Canal Arte 1 continuará apresentando pílulas antes de cada mesa.

Os ingressos começarão a ser vendidos em data ainda a ser informada, no período de fim de junho - começo de julho.

Acesse a programação da Flip 2018.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________