• Fonte: Prefeitura de São Sebastião

Estudantes de São Sebastião participam de oficina de criação de livros

A proposta é tornar acessível aos participantes os principais recursos necessários à criação de um livro: escrita, ilustração e encadernação, e discutir a função dele e da leitura em nossa sociedade.

Foto: Divulgação/PMSS

Trinta estudantes da Escola Municipal Prof.ª Cynthia Cliquet Luciano, localizada na Enseada, Costa Norte, participaram do primeiro dia da oficina “Eu e o Livro. A proposta é tornar acessível aos participantes os principais recursos necessários à criação de um livro: escrita, ilustração e encadernação, e discutir a função dele e da leitura em nossa sociedade.

A artista plástica Isabel Galvanese, a escritora Cristina Mira e a editora Leila Prado, são as responsáveis pela oficina e vão trabalhar durante o mês de agosto a confecção dos livros que serão produzidos por cada aluno e que estarão em uma mostra na Festa da Leitura da escola, onde Isabel irá relançar no dia 25 de agosto o seu livro O Segredo de Druzilla, a encantadora de siris – para a população da Costa Norte de São Sebastião. A ocasião também contará com a exposição de trabalhos, ilustrações e livros da autora, e um sarau literário.

“Esse projeto é uma união das nossas habilidades aqui, pra trazer esse acesso, essa sensibilização pela leitura e entender o livro em todas as partes, desde o processo da escrita a ilustração e o livro enquanto objeto.”, ressalta Leila, que trabalhará a encadernação, abordando do que o livro é composto, como capa, contracapa, a forma de ser encadernado, dobraduras e demais elementos que o compõe.

“O objetivo maior é sensibilizar eles pra a leitura e a escrita, pra que, através disso, nós possamos abrir janelas para que eles possam voar para fora da realidade.”, afirma Isabel Galvanese, que será responsável pela aula de ilustração do curso.

Cristina, responsável pela parte de escrita e desenvolvimento dos textos, diz estar gostando de fazer esse trabalho diferente. “A gente está nesse mundo todo digital, então é legal trabalhar com uma coisa material. O livro ainda faz parte da nossa vida, por mais digital que ele esteja.”, diz a escritora.

Segundo a aluna Sthefanny Gomes da Rocha, 12, foi uma experiência nova. “Eu acho que eu nunca imaginaria fazer uma coisa tão legal como essa na escola, é diferente. Nós aprendemos que na hora que estamos escrevendo a gente pode pegar qualquer coisa e imaginar na nossa mente alguma coisa diferente que nunca tinha imaginado fazer.”, conta a Sthefanny.

Os estudantes Guilherme Cardoso de Lima, 12, e Gabriel Henrique Moreira dos Santos, 12, aprovaram a oficina. “Eu to achando uma oportunidade ótima pra quem gosta de escrever, ler, e pode abrir muitas portas pro futuro.”, fala Guilherme. “Eu gostei, aprendi coisas novas. Tem coisa que eu não sabia que dava pra fazer e agora eu sei.”, revela Gabriel.

Rafael Alvim de Mendonça, 11, conta que já tem familiaridade com as palavras por sua mãe ser escritora, e que também gostou do curso. “Eu gosto muito de ler e escrever, e faço uns poemas em uns caderninhos em casa.”, diz o estudante. Kaio Eduardo Adelino Esperança, 12, também estudante da EM Cynthia, afirma que o curso trouxe também outros benefícios. “Tem muitas coisas pra gente fazer e deu pra conhecer várias pessoas novas.”, declara o aluno.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________