• Da Redação

Ministério Público Federal discute com a comunidade o turismo na Ilha das Couves

Desde 2016, o MP recebe denúncias sobre situações de desordem, poluição, desmatamento e irregularidades ambientais no local.

A procuradora federal, Walquiria Imamura Picoli fala aos presentes - Foto: Divulgação/PMU

Moradores de Ubatuba e representantes de órgãos como Ministério Público Federal (MPF), Marinha do Brasil, Ibama, Instituto Florestal, APA Marinha do Litoral , prefeitura de Ubatuba e Câmara Municipal estiveram reunidos, na última terça-feira (14), no centro de visitantes do Parque Estadual da Serra do Mar, na Praia da Fazenda. No encontro foi apresentada uma pesquisa sobre a capacidade de carga turística na Ilha das Couves e alternativas de gestão do local.

A procuradora federal, Walquiria Imamura Picoli lembrou que a Ilha é patrimônio da União e não está à venda. Segundo a procuradora, a ilha tem sido invadida pelos turistas de maneira predatória. “O destino oferece muitas opções para mergulho, trilhas e praias desta maneira, o perfil desse turista também foi avaliado no estudo", declarou. Um grupo de trabalho formado por técnicos dos órgãos públicos (biólogo, engenheiro ambiental, profissionais do turismo, oceanógrafo) desenvolveu um estudo considerando diversos aspectos para chegar ao limite de uso e que vai permitir a reflexão de qual futuro todos querem para a ilha.

Gabriela Roque, bióloga do MPF, explicou que a atividade turística precisa ser bem planejada e que casos como este de degradação ambiental por superlotação não são exclusividade do local ou, até mesmo, do Brasil, mas também em regiões como a Ilha de Bali, por exemplo. Ela ainda destacou a importância do planejamento da atividade turística sustentável para a manutenção dos recursos e os perigos do turismo predatório.

Três possíveis soluções para a gestão da Ilha das Couves foram apresentadas ao público presente.

A gestão da ilha pela comunidade com um Termo de Uso Sustentável (TAUS) foi uma delas. De acordo com Walquiria, trata-se de uma oportunidade pioneira, que contará com o apoio de vários atores (órgãos públicos) para organizar a comunidade e cumprir os critérios das condicionantes a fim de conseguir o Taus.

O próximo passo é a realização de um encontro no dia 24 de agosto, às 14 horas, no mesmo local para que a comunidade se posicione.

Histórico

Desde 2016, o MP recebe denúncias sobre situações de desordem, poluição, desmatamento e irregularidades ambientais na Ilha das Couves, que está inserida nos limites da Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Norte.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________