• Fonte: Prefeitura de Angra dos Reis

Prefeito de Angra decreta estado de emergência na Segurança Pública

Insegurança no município pode resultar no pedido de desligamento das usinas nucleares.

Foto: Divulgação/PMAngra

O prefeito de Angra dos Reis decretou, nesta terça-feira (21), situação de emergência na área de Segurança Pública em Angra dos Reis. - A situação de insegurança pública pode afetar diretamente a efetividade do cumprimento dos Planos de Emergência Externo e Local da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, resultando como única solução responsável o requerimento de desligamento das Usinas Nucleares – afirmou. O Decreto nº 11.026, assinado pelo prefeito e pelos vereadores, atribui à Superintendência de Segurança Pública a responsabilidade pela emissão mensal de relatórios descritivos da situação de violência no município, com o objetivo de informar às autoridades competentes e propor soluções concretas que possibilitem a redução dos índices de criminalidade na cidade. Este relatório será encaminhado para os Ministérios Públicos Estadual e Federal em Angra dos Reis, o Gabinete de Intervenção Federal, o Gabinete de Segurança Institucional e a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. - A grave situação enfrentada pela nossa cidade está cerceando o direito fundamental de ir e vir dos cidadãos, impedindo que serviços públicos essenciais sejam realizados em determinadas localidades controladas pelo tráfico. A situação está insustentável. Não podemos aceitar isto – frisou o prefeito. Na tarde de hoje, o prefeito cobrou, mais uma vez, ação efetiva da Intervenção Federal na cidade. Ele, que já esteve reunido várias vezes com o presidente da República e com o chefe do gabinete de Segurança Institucional, teve um encontro, no Rio de Janeiro, com o interventor federal. - Estamos todos indignados! A polícia de Angra dos Reis precisa de apoio para enfrentar essa onda de violência que culminou em um ônibus incendiado, nesta segunda (20), no Belém. Como podemos conviver com essa situação? – indagou o prefeito. Ele ainda explica que o Município tem feito seu papel, colaborando, dentro do que é possível, com a polícia. - Compramos 20 viaturas, aderimos ao Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), que hoje conta com 46 policiais e é o maior polo do Estado, implantamos em Angra o serviço de Disque-Denúncia, dentre outras ações. Apesar de a Prefeitura não ter poder de polícia, estamos usando ferramentas para ajudá-la, mas precisamos da mão da Intervenção Federal, que não disse para o que veio em Angra dos Reis – avaliou. O prefeito ainda faz um apelo para que toda a sociedade se envolva nessa luta contra a violência. - É preciso lembrar que se hoje existe uma briga entre facções pelos territórios é porque tem cliente para o tráfico. É o consumo de drogas e entorpecentes que movimenta toda essa guerra no Brasil, no Estado do Rio e em Angra dos Reis. A sociedade precisa de envolver e o Disque-Denúncia (0300 253 1177) está aí para ser usado. Angra é muito maior do que a violência e, juntos, vamos vencer esta triste etapa da história do município – finalizou.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________