• Fonte: Prefeitura de Ilhabela

Ilhabela realiza audiência pública sobre projeto que proíbe uso de canudos plásticos

Assim como sacolas e copos plásticos, os canudos são grandes vilões para a natureza, afetando rios e oceanos no mundo todo.

Foto: Divulgação/PMI

A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, participou ontem (23), de uma audiência pública na Câmara Municipal, para apresentação do projeto que proíbe a utilização de canudos plásticos no comércio ilhéu.

Desde fevereiro deste ano, o município tem se pautado pela nova marca “Ilhabela vida natural”, destacando sempre os três pilares da sustentabilidade: econômico, social e ambiental; e o projeto apresentado pelo Legislativo, de autoria do vereador Luiz Paladino, vai ao encontro do que busca a atual Administração no sentido de preservação do meio ambiente.

Representando o poder Executivo, o secretário da pasta, Ricardo Fazzini, acompanhou de perto as discussões sobre o assunto. “Não medimos esforços para colocar Ilhabela na posição de destino de natureza e, para isso, é essencial que cuidemos cada vez mais de nosso meio ambiente”, disse. “Sabemos que sacolas e copos plásticos, assim como garrafas PET também prejudicam nossas águas, fauna e flora, mas o canudo é, hoje, o quinto item mais encontrado nos mares de todo o mundo. Ou seja, uma questão que merece toda nossa atenção”, frisou o secretário de Desenvolvimento Econômico e do Turismo.

Fazzini lembrou o projeto “Meu Copo Eco”, com estande fixo no Race Village durante a 45ª Semana Internacional de Vela, que tem proposta muito semelhante: a diminuição e, futuramente, extinção do uso de copos plásticos nos comércios, rede hoteleira e eventos de rua. Durante a audiência pública, inclusive, também foram apresentadas alternativas ao canudo plástico, como canudo de papel e canudo de trigo (biodegradáveis), além de canudo de inox, vidro e bambu.

“Os canudos de bambu estão tendo grande adesão da rede hoteleira da ilha. Hoje já oferecemos até a opção de gravar o nome ou alguma mensagem no material, o que transforma o canudo em mais do que um simples utensílio. Muitos hotéis estão adquirindo esses canudos para presentear seus hóspedes, que levam uma lembrança ecológica e consciente de Ilhabela”, destacou Márcio Gennari, idealizador de uma marca de produtos ecologicamente corretos.

Unanimidade

A audiência pública serviu para apresentar as justificativas do projeto ao público que, após as palestras de representantes do meio ambiente, participaram de uma votação popular resultando na aprovação por unanimidade.

A proposta segue agora para votação dos vereadores e, se aprovada também pelos pares, deve ser sancionada pelo prefeito Márcio Tenório.

“Temos buscado nos firmar no mercado de ecoturismo, oferecendo aos turistas e visitantes o que de melhor nosso município tem, entre trilhas, cachoeiras, praias e atividades indoor e outdoor, ao mesmo tempo em que cuidamos do nosso arquipélago para que cada morador sinta orgulho e prazer de viver aqui. Por isso, projetos que prezem pelo nosso meio ambiente são cada vez mais importantes”, salientou Ricardo Fazzini.

Danos

Um canudo plástico comum (normalmente produzido a partir do polipropileno, derivado do petróleo), pode levar até 40 anos para se decompor.

Produzidos e utilizados diariamente aos milhões sendo carregados por ventos e chuvas aos rios e oceanos de todo o mundo, o canudo plástico é um grande vilão ambiental com resultados que podem se tornar catastróficos se não for contido.

Foi pensando nessa questão, que a Câmara promoveu a audiência pública para apresentação do projeto proibindo a utilização desse produto no comércio ilhéu e chamando a atenção da comunidade para a relevância do tema.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

[ Últimas Notícias ]________________________