• Da Redação

Se chegou até você, resolva

É muito comum nos depararmos com posts pedindo ajuda para animais, cães ou gatos, em situação de rua. O que esses animais precisam é de resgate e ajuda. Se o problema apareceu para você, não tente empurrar para outra pessoa. Resgate e tente encontrar um novo lar para ele.

Ao contrário do que todo mundo acredita, não existe Ong que resgate animais. As Ongs que já atuam na proteção animal estão sempre lotadas e com as finanças no limite. Na maioria das vezes, elas possuem pouca renda própria e vivem de doações de simpatizantes da causa animal.

Os protetores independentes, que são pessoas como qualquer outra, que precisam trabalhar e cuidar da própria vida, necessitam, no mínimo, de alguém que faça lar temporário para poderem ajudar. Ajudas financeiras também são bem-vindas.

Mas, em época de crise como a que vivemos, as doações acabam minguando.

O poder público é quase sempre omisso. E nesses casos, o animal sempre terá mais chances de encontrar um lar se for resgatado por alguém e depois doado, ao invés de ir parar num abrigo municipal onde, com certeza, viverá numa baia pelo resto da vida, principalmente se for um animal já adulto.

Filhotes são um caso à parte. A situação deles nas ruas é quase sempre de morte certa. Além de não saberem como se virar nas ruas, por causa do pouco tempo de vida, eles desconhecem completamente os perigos dos quais podem ser vítimas como atropelamentos e envenenamentos além, é claro, da crueldade humana. Independentemente da espécie, são apenas bebês.

A sua atitude, salva vidas. A sua negligência, acaba com elas

Por isso, se você se compadece com a situação do animal a ponto de postar nas redes sociais pedindo que alguém resgate, tenha a atitude. Resgate, compre medicamentos para acabar com vermes, pulgas e carrapatos, um pouco de ração e, se a sua situação financeira permitir, castre e aplique a primeira dose de vacina múltipla. Entre ração, vermífugo e anti-pulgas, você não vai gastar mais do que R$ 170 por animal. Depois, se o animal não aparentar nenhum problema de saúde, encontre uma família que irá cuidar dele decentemente.

Caso o animal esteja visivelmente muito doente, peça ajuda a amigos e conhecidos para o tratamento dele. Faça uma rifa para arrecadar dinheiro. Você vai se surpreender com a quantidade de pessoas que ajudam numa situação pontual como essa.

A gente sabe que, em alguns momentos, a situação é realmente desfavorável, principalmente no que diz respeito às disponibilidades de espaço ou financeira. Se for o seu caso, peça ajuda para alguém próximo, como parente ou amigo, para resolver a situação.

Foto: Divulgação

Não dá para contar com o poder público

Apesar dos animais em situação de rua, por lei, serem tutelados pelo Estado, a dura realidade é que quase nada é feito por eles pelo poder público. Nem sequer as políticas públicas de controle populacional de cães e gatos que estão previstas em lei, os municípios são capazes de cumprir. Existem, é claro, as exceções. Mas são poucas. O que impera hoje no país é uma tremenda falta de vontade política para colocar em prática políticas públicas eficientes no que se refere ao bem-estar de animais em situação de rua.

No entanto, são vidas que estão aí e precisam de ajuda. Resgatar, tratar e doar é cumprir com a responsabilidade social que cabe a cada cidadão. Faça a sua parte!

Foto: Divulgação

Posts Relacionados

Ver tudo
[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.