• Fonte: Prefeitura de Ilhabela

Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte realiza visita em escola de Ilhabela

A visita teve o objetivo de conhecer o projeto “Escola Resíduo Zero”, implantado em 2018 em todas as escolas da rede municipal de ensino.

Foto: Divulgação/PMI

A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Educação, recebeu na última quarta-feira (10), a visita da Câmara Técnica de Educação Ambiental do Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte na E.M. José Benedito de Moraes, localizada no bairro do Reino.

A visita teve o objetivo de conhecer o projeto “Escola Resíduo Zero”, implantado em 2018 em todas as escolas da rede municipal de ensino. “Esse projeto é inovador. Com as composteiras, os alunos aprendem o descarte correto do lixo produzido e ainda vivenciam todo o processo da compostagem. O produto final é utilizado em outro programa, o ‘Horta nas Escolas’, e distribuído entre os alunos para levarem esse composto para casa e disseminar o aprendizado com a família e sua comunidade”, declarou o prefeito Márcio Tenório.

O grupo foi recebido pela equipe escolar, alunos, pela representante Flow (empresa parceira da Morada da Floresta), Tatiana Araújo, e equipe técnica da Secretaria de Educação e ouviram atentamente o passo a passo da compostagem. “O projeto modificou a forma de como agimos diante do descarte do lixo e um forte aliado nas ações de educação ambiental que ofertamos nas escolas. Além do ‘Resíduo Zero’ e o ‘Horta nas Escolas’, ainda trabalhamos com o ‘Pilhas de Pilhas’ e o ‘Água e Óleo não se misturam’. Todas essas ações visam conscientizar as nossas crianças sobre a preservação do meio ambiente e que se cada um fizer a sua parte não teremos com o que nos preocuparmos no futuro”, salientou o coordenador de Educação Integral, João Paulo de Souza, que representou a secretária de Educação, Ana Paula dos Santos.

A equipe da unidade apresentou, ainda, o projeto “Compostando e Aprendendo”, idealizado pela professora da unidade, Taluana Laiz Martins Torres. “Com o projeto, planejo e desenvolvo atividades, não apenas de compostagem, mas outras que envolvem a questão da conscientização sobre a importância de reduzir o consumo, reutilizar e reciclar. O objetivo é utilizar a compostagem para trabalhar, de maneira interdisciplinar, todos os temas que envolvem o meio ambiente”, explicou.

Com o “Compostando e Aprendendo”, além das atividades propostas dentro da escola, os alunos passaram a se organizar pela comunidade, explicando aos moradores o que aprenderam e como todos podem colaborar. “Temos um problema sério com o descarte de lixo nesta comunidade, que é muito populosa e produzem muitos resíduos”, disse Taluana.

Para o vice-presidente do Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte, Pedro Fernando do Rego, “a partir das crianças, conseguimos mudar a realidade que vivemos, ou pelo menos conseguimos prevenir algumas situações quando conseguimos, de fato, conscientizá-las da importância e prevenção do meio ambiente”.

Escola Resíduo Zero e Horta nas Escolas

Os projetos conscientizam as crianças sobre o consumo sustentável, a alimentação saudável com o incentivo à criação de hortas orgânicas no ambiente escolar e familiar e a separação e descarte correto do lixo reciclável e não reciclável. A finalidade não é apenas dar a destinação ambientalmente adequada dos resíduos sólidos orgânicos, em acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, mas promover também a compostagem como ferramenta de educação ambiental, atendendo outra política ambiental importante para o setor educacional.

A iniciativa do projeto “Escola Resíduo Zero”, já realizou a compostagem de mais de 145 toneladas de resíduos. “Se cada um fizer a sua parte vamos economizar no transbordo do lixo e diminuir o volume de resíduos no Aterro”, salientou o prefeito Márcio Tenório.

Os resíduos orgânicos das composteiras alimentam as hortas das escolas que produzem verduras e legumes, os quais poderão incrementar até na merenda escolar. O projeto “Resíduo Zero” é desenvolvido em todas as escolas, sendo as maiores contempladas com as composteiras; e as menores com minhocários. “Ilhabela Educadora é uma Ilhabela mais sustentável. Com educação ambiental inserida nas atividades escolares, os alunos tornam-se multiplicadores, levando todo o conhecimento e a prática da sustentabilidade para a família e a sua comunidade”, destacou o prefeito Márcio Tenório.

As unidades escolares receberam cilindros de compostagem, balança para medição da quantidade de resíduos destinados à compostagem, termômetro para monitoramento da temperatura e ferramentas, como pás e enxadas. As balanças são usadas para pesagem dos resíduos orgânicos e o termômetro para monitoramento da temperatura interna das composteiras, atividades que estimulam trabalhos para os alunos em diversas disciplinas, como Geografia, Matemática, Português, Filosofia e outras, atendendo o princípio da educação ambiental como temática transdisciplinar.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.