• Fonte: Prefeitura de Caraguatatuba

Em Caraguatatuba escola bilíngue para surdos comemora Dia Nacional da Educação para Surdos e Dia de

O conceito de Libras é reconhecido por lei como meio legal de comunicação e expressão dessa comunidade.

Foto: Lucas Camargo/PMC

Os dias 23 e 24 de abril são datas importantes para a comunidade surda no Brasil, pois é quando se comemora o Dia Nacional da Educação de Surdos e Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras), respectivamente.

O dia 24 de abril foi escolhido porque é a data da publicação da Lei 10.436/02, que trata da linguagem de sinais. Na lei, o conceito de Libras é reconhecido como meio legal de comunicação e expressão dessa comunidade. A Lei também serviu de alicerce para uma série de políticas públicas.

Em atenção a essas políticas, a Prefeitura de Caraguatatuba implementou a primeira EMEFEBS – Escola Municipal de Ensino Fundamental e Educação Bilíngue para Surdos do Litoral Norte.

A unidade escolar Prof. Ricardo Luques Sammarco Serra faz parte da Diretoria Municipal de Educação Inclusiva e conta com uma equipe de seis professores intérpretes de Libras que ensinam a língua aos alunos surdos e ouvintes. Além do ensino de Libras o município oferece transporte escolar gratuito aos alunos.

A diretora da unidade escolar, Juliana Neuma, ressalta a importância do aprendizado de Libras no desenvolvimento do aluno surdo. “A Língua tem um papel muito importante no desenvolvimento cognitivo de todo sujeito. Imagine isso trazendo para o processo cognitivo do aluno surdo, em que o som é inexistente e a alfabetização é extremamente visual. Então, quando há a Língua de Sinais como primeira Língua, o processo de aprendizagem acaba sendo normal, fluido. Além do processo de aprendizado e reconhecimento, que leva o aluno surdo a ser protagonista de sua língua, de sua cultura, do seu meio, a escola bilíngue faz também com que o aluno cresça a partir da interação social”, afirma.

Em comemoração às datas, a Diretoria de Educação Inclusiva realizou na terça-feira (23/04), uma solenidade onde alunos dos 6º e 7º anos interpretaram em Libras a canção Águas de março, composta por Tom Jobim.

A Diretora da Educação Inclusiva, Adriana Bueno Coelho, realizou uma experiência com os presentes. Durante sua fala passou apenas a movimentar os lábios, não emitindo sons o que levou todos a refletirem sobre o universo dos surdos. Ela enfatizou a necessidade do respeito às diferenças. “Acredito que o respeito à diversidade humana e ao pluralismo cultural, seja o ponto de partida da nossa caminhada rumo a transformações conceituais e práticas da escola, a fim de garantir educação para todos, por meio de aprendizagens efetivas que garantam a permanência do aluno e, consequentemente, seu sucesso escolar”.

Curta a página e acompanhe as atividades da EMEFEBS Prof. Ricardo Luques Sammarco Serra.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.