• Fonte: Prefeitura de Angra dos Reis

Ruas de Angra são tomadas pela fé

Devotos de São Benedito celebraram o seu dia com missas e procissão.

Foto: Divulgação/PMAngra

Milhares de fiéis rezando e entoando cânticos pelas ruas do Centro de Angra em um exemplo de fé e devoção. Essa cena tradicional na cidade se repetiu na segunda-feira (22) quando comemorou-se mais um dia de São Benedito, considerado o segundo padroeiro da cidade. A festa organizada pela Irmandade de São Benedito, com o apoio da Prefeitura, através da Secretaria Executiva de Cultura e Patrimônio, teve início no último dia 9 e vai até 28 de abril, quando acontece a descida do mastro, na Praça Matriz. As atividades religiosas, que neste ano tiveram como tema “São Benedito, ajudai-nos a construir um reino de amor e paz em nossa cidade”, começaram bem cedo no dia dedicado ao santo. Às 6h, aconteceu a alvorada festiva, seguida de café da manhã comunitário, no Clube Comercial. Depois do café, os fiéis se dirigiram para a Igreja Matriz, onde participaram da primeira missa celebrada no dia. Terminada a celebração, ocorreu a saudação da Congada de Moçambique ao mastro de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário. Às 10h, o padre Luis Zotesso celebrou a Missa Solene, na Igreja Matriz, com a participação de inúmeros devotos, entre eles o prefeito. Após a missa, foi servido à comunidade um almoço no Convento do Carmo. Às 16h, ocorreu a celebração de mais uma missa, desta vez celebrada pelo Frei Fernando. Terminando a programação do dia, pouco após às 17h, milhares de devotos saíram às ruas em uma demonstração pública de devoção e fé, na procissão solene em louvor a São Benedito que contou com os andores de Nossa Senhora de Aparecida, Santo Expedito, São Jorge, Menino Jesus, Nossa Senhora do Rosário, e claro, São Benedito. À frente da procissão, veio a Relíquia de Primeiro Grau de São Benedito, um pedaço de pele do santo e um relicário de prata que contém um lasco do lenho que Jesus Cristo carregou até o calvário. O casal de festeiros coordenou a programação pela quarta vez e destacou a importância da celebração. - Pra gente é bem gratificante. Fora as bênçãos que São Benedito nos proporciona todos os dias, temos um compromisso com a cidade para manter viva essa tradição religiosa e cultural que é importante para uma cidade que tem 517 anos. Fazemos com muita satisfação, com muito orgulho – destacou o festeiro. A programação festival que começou dia 9 de abril, com tríduo e levantamento do mastro, só termina no próximo domingo (28), com procissão com saída da Igreja de Santa Luzia e descida do mastro, na Praça Matriz, às 17h. São Benedito A devoção a São Benedito, santo italiano descendente de escravos oriundos da Etiópia, em Angra dos Reis começou no século XVII, quando também foi fundada a Irmandade de São Benedito que organiza a festa todos os anos. Inicialmente a Irmandade era composta por negros. Era costume a irmandade comprar a Carta de Alforria de um escravo com o dinheiro arrecadado na festa. O escravo que ia ganhar liberdade era escolhido no final dos festejos, por meio de sorteio. Sorteado, o escravo era libertado através da carta adquirida pela mesa administrativa da Irmandade. A data de realização dos festejos em Angra dos Reis também está ligada à escravidão. Os senhores de escravos da época moravam em fazendas nos arredores onde os negros cultivavam a terra e trabalhavam nos engenhos. Esses senhores possuíam casas na cidade que usavam quando tinham que resolver algum negócio, tratar de alguma enfermidade ou assistir as festas religiosas, como é o caso da Semana Santa. Devido a toda essa situação, em que os senhores estavam envolvidos em suas atividades religiosas, os negros transferiram a sua festa para a primeira segunda-feira após a Páscoa, tradição que é mantida até hoje.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.