• Carlos Rocha

A Voz dos Animais: Proteção animal e a política em Ubatuba


Carlos Rocha - Foto: arquivo pessoal

Olá, sou Carlos Rocha. Há 12 anos fui apresentado à causa animal. De uma pessoa que gostava de animais, passei a ser um ativista de proteção animal.

Nesse aprendizado, conheci pessoas importantes (protetoras com muitos anos de vivência na causa) que me ensinaram os caminhos. Em todo esse tempo, fortaleci a ideia de que o que falta aqui em Ubatuba são políticas públicas voltadas ao bem-estar animal.

Então, tenho buscado fazer o necessário.

No meu ponto de vista, o fundamental é trazer o bem-estar animal para uma secretaria que possa realmente realizar um trabalho contínuo, sem esbarrar na burocracia de normas e regras e onde bem-estar animal seja prioridade.

Já há algum tempo, em reunião com a promotoria (Ministério Público) foi dada a sugestão ao secretário do Meio Ambiente municipal para que as políticas públicas de bem-estar animal fizessem parte dessa secretaria. Infelizmente, não houve interesse do titular da pasta.

Hoje, o que se refere à saúde e bem-estar animal está ligado à secretaria de Saúde, sob a responsabilidade do Centro de Controle de Zoonoses. É muito pouco. Por lei, o trabalho desenvolvido pelos centros de controles de zoonoses pelo país é voltado ao controle de doenças que possam ser transmitidas dos animais para os seres humanos. Também por lei, o centro de controle de zoonoses só pode recolher para o canil municipal os animais doentes que ofereçam risco às pessoas e os animais agressivos, que também oferecem risco às pessoas.

A única política pública implantada em Ubatuba com relação ao bem-estar animal é a oferta da castração gratuita. Lembrando que isso também é obrigação de todo município já que por lei, cada cidade é responsável pelo controle populacional de cães e gatos, sendo que a esterilização cirúrgica (castração) é a medida mais recomendada para isso. Mas só a castração não é suficiente para resolver o problema.

Várias cidades da região já trabalham o bem-estar animal dentro da secretaria do Meio Ambiente e apresentam bons resultados, inclusive com uso de verbas públicas específicas para preservação da fauna silvestre e bem-estar dos animais de estimação. Essa é a nossa meta.

O bem-estar animal não sobrevive somente de boa vontade. Ele é uma responsabilidade social de todos e, para apresentar progressos, precisa da união da sociedade civil e do poder público, desenvolvendo e implantando políticas públicas que sejam realmente efetivas e que tenham continuidade.

"Como zeladores do planeta é nossa responsabilidade lidar com todas as espécies com carinho, amor e compaixão. As crueldades que os animais sofrem pelas mãos dos homens estão além da nossa compreensão. Por favor, ajude a parar com essa loucura"

(Richard Gere).

Carlos Rocha é cidadão de Ubatuba e atua na proteção animal desde 2007. Neste espaço, irá contar um pouco sobre o que vivencia na área de proteção e bem-estar animal e, também, o que ele acha que é necessário para Ubatuba avançar efetivamente nessa área.

Carlos Rocha em ação - Foto: arquivo pessoal

Posts Relacionados

Ver tudo
[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.