• Fonte: Prefeitura de Ilhabela

Alunos das escolas municipais de Ilhabela recolhem bitucas de cigarro e participam de oficina de pap

Ação foi promovida em atenção à Semana do Meio Ambiente.

Foto: Divulgação/PMI

A Prefeitura de Ilhabela, por meio das Secretarias de Educação e Meio Ambiente, promoveu, na manhã desta sexta-feira (7), na Praia do Perequê, com a participação dos alunos das escolas municipais, a coleta e uma oficina de papel reciclado extraído das bitucas de cigarros.

Desde o ano passado, o município conta com bituqueiras para o descarte correto desse material, que além de prejudicial à saúde humana, também colabora com a poluição do meio ambiente. “Esse projeto teve início com 11 caixas coletoras, hoje são 170, e que já evitou que 400 mil bitucas fossem descartadas de forma incorreta”, declarou a prefeita Maria das Graças Ferreira, a Gracinha.

Os alunos recolheram pela orla e areia da praia, em menos de uma hora, 1046 bitucas. “A educação ambiental está presente na rede municipal e muitas vezes, em pareceria com a Secretaria de Meio Ambiente. As crianças abraçam com afinco as ações de preservação ambiental, que são uma importante ferramenta para a formação e conscientização de adultos preocupados em manter o nosso meio saudável e livre de resíduos que contaminam rios, mares e florestas”, destacou a secretária de Educação, Edina de Paula Roma Teixeira.

Entre o grupo, a aluna Laura Vasconcelos destacou a importância da ação. “Estou feliz em recolher as bitucas, assim elas não irão poluir a água”, disse.

Para a secretária de Meio Ambiente, Maria Salete Magalhães “as parcerias entre as secretarias são extremamente importantes para nós podermos conscientizar e educar a população em relação aos resíduos. Os resíduos são as dificuldades que temos e precisamos de ações juntas: Educação, Meio Ambiente e Saúde, todos integrados”.

Após a coleta, os estudantes participaram de uma oficina de reciclagem das bitucas, que são submetidas a um processo de reciclagem na qual são transformadas em massa celulósica, utilizando tecnologia 100% nacional desenvolvida pela UnB – Universidade de Brasília. A massa de celulose pode ser transformada em papel, cadernos e agendas. “As bitucas têm cerca de nove mil toxinas. Um estudo da USP (Universidade de São Paulo), indica que duas bitucas em um litro de água equivale à poluição causada por um litro de esgoto doméstico, além disso, o descarte inadequado causa morte de peixes e animais aquáticos”, explicou a representante da Flow (empresa parceira da Morada da Floresta), Tatiana Araújo.

Benefícios para o meio ambiente

Ao inserir caixas coletoras com informes educacionais e temas ambientais e de saúde, cria-se um canal de comunicação entre a gestão pública e a população. Os objetos instalados nos pontos adequados passam a ter uma função social educativa, visto que conscientizam as pessoas dos malefícios do tabaco para saúde e para o meio ambiente.

O descarte de bitucas causam prejuízos ambientais, consequentemente gerando maiores gastos aos cofres públicos, como exemplo:

– 40% dos resíduos nas ruas é composto por bitucas. Quando chove, estes são despejados em esgotos, contaminando as águas e mares;

– Quando em contato com o solo, leva-se, em média, 15 anos para decomposição, além de entrar em contato com lençol freático;

– 25% das queimadas são provocadas por descarte de bituca, aumentando para 65% em tempos de estiagem.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.