• Da Redação

O contato entre crianças e animais precisa de supervisão. Sempre.

Mesmo sendo uma relação benéfica para ambos, os atendimentos de animais em clínicas veterinárias em decorrência de maus tratos causados por crianças e adolescentes é bastante comum, por isso, a supervisão dos pais ou de adulto responsável é necessária durante a interação, não importando a idade da criança.

Mesmo sendo uma relação benéfica para ambos, os atendimentos de animais em clínicas veterinárias em decorrência de maus tratos causados por crianças e adolescentes é bastante comum, por isso, a supervisão dos pais ou de adulto responsável é necessária durante a interação, não importando a idade da criança.

Todo mundo já ouviu falar que a relação entre crianças e animais é super benéfica para ambos. E é verdade. Quem sai ganhando nessa relação são as crianças que crescem aprendendo que a relação entre seres de outras espécies é benéfica e só traz vantagens, além de descobrirem que animais também fazem parte da família. Elas crescem aprendendo a repartir, solidarizar, a serem generosas e observadoras, desenvolvendo a sensibilidade, a autoestima e a cordialidade.

Mas, todo contato entre as crianças e os animais deve ser supervisionado por algum adulto. Isso porque as crianças ainda não sabem diferenciar um gatinho ou cachorrinho de um brinquedo e, na inocência ou na ingenuidade, podem acabar machucando o animal. E algumas podem inclusive, acabar levando uma mordida do animal que tenta se defender da agressão.

Não é incomum atendermos no dia a dia da clínica veterinária, animais que sofreram maus tratos por uma criança. Se o animal é filhote e ainda não sabe se defender, é ainda mais comum. Tem animal que chega com traumatismos dos mais variados, ferimentos e até mesmo os que chegam com algum tipo de paralisia nos membros por conta de algum dano na coluna.

É claro que as crianças não possuem consciência de estarem fazendo algo errado e é aí que entra o papel dos pais e responsáveis.

No dia a dia, é papel fundamental dos pais e responsáveis ensinar às crianças que animais não são brinquedos. Que eles sentem dor assim como as crianças e que só devem ser tratados de forma carinhosa. Que eles possuem vontades próprias e necessidades que precisam ser satisfeitas. Que nada, a não ser a ração ou petiscos próprios à espécie, devem ser oferecidas ao animal, e que nenhum objeto deve ser introduzido na boca, narinas ou ouvidos dos animais.

E mesmo assim, não importa a idade da criança ou do animal, todo o tempo que eles permanecem juntos precisa ser supervisionado por um adulto. Assim, na iminência de algum mau trato acontecer, ele poderá ser evitado a tempo e a criança repreendida e ensinada. Sim, ensinada que maus tratos são errados e que os animais devem ser tratados com respeito. Porque é esse o papel dos pais e responsáveis, educar para transformar as crianças em adultos responsáveis e humanos, que saibam que toda forma de vida merece ser respeitada e bem cuidada.

Portanto, quem tem crianças e animais em casa, observe a interação entre os dois e permita que ela aconteça apenas na sua presença. E desde cedo, ensine à criança que animais devem receber apenas carinho. À medida que a criança cresce, a partir dos 7 anos de idade, ela já pode ser envolvida nas tarefas cotidianas para cuidados com o animal, como ajudar a dar banho, trocar a água e a colocar a comida. Depois, quando mais velhas, a partir dos 13 anos, idade em que as crianças já podem assumir responsabilidades sozinhas, deixe a alimentação e o passeio por conta delas. Mas é claro, verifique sempre se os cuidados acontecem efetivamente.

A partir dos 15 anos, o adolescente já pode cuidar sozinho do pet. Mas é imprescindível, mesmo assim, que as conversas sobre os cuidados e necessidades do pet continuem, pois é nessa mesma época que os adolescentes também se sentem estimulados a fazerem experiências e podem achar que o pet é o candidato certo para isso.

Com o apoio e supervisão dos pais e responsáveis, crianças e animais crescem fortes, saudáveis e desenvolvem uma relação de carinho e respeito que é o que todo mundo espera de uma relação entre seres humanos e animais de estimação.

Mesmo sendo uma relação benéfica para ambos, os atendimentos de animais em clínicas veterinárias em decorrência de maus tratos causados por crianças e adolescentes é bastante comum, por isso, a supervisão dos pais ou de adulto responsável é necessária durante a interação, não importando a idade da criança.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.