• Fonte: Prefeitura de Caraguatatuba

Amor não é controle, destaca Campanha 'Agosto Lilás' em Caraguatatuba

Relacionamentos abusivos podem ser identificados logo no início. É essencial que as mulheres reconheçam o problema que estão vivendo e percebam que as culpadas não são elas e jamais devem aceitar agressões físicas ou psicológicas.

Foto: Divulgação/PMC

A Prefeitura de Caraguatatuba segue com a Campanha “Agosto Lilás”, pela conscientização do fim da violência contra a mulher. O foco principal é alertar as mulheres sobre pequenos comportamentos na relação que já caracterizam um relacionamento abusivo.

Um relacionamento abusivo pode ser notado logo no início, com diversas atitudes, que já demonstram uma convivência que não é saudável. É essencial que as mulheres reconheçam o problema que estão vivendo e percebam que as culpadas não são elas e jamais devem aceitar agressões físicas ou psicológicas.

Se frases como estas soam como cuidado, é melhor redobrar a atenção, pois pode significar sentimento de posse, uma das principais características de relacionamento abusivo. “Este seu vestido é muito curto!”; “Aonde vai maquiada desse jeito?”; “Eu não quero que vá sozinha”; “Pra que trabalhar fora? Você não precisa”; “Deixa eu ver seu celular!”; “Pra que postar essa foto, tá se aparecendo demais”; entre outras.

A coordenadora do Centro Integrado de Atendimento à Mulher (Ciam) em Caraguatatuba, Marcia Denise Gusmão Coelho, explica que muitas mulheres presenciam estas atitudes e pensam que o ciúme do companheiro é normal. “Elas acham que eles estão se importando com elas, quando na verdade, é um sentimento de poder com o outro, transformando uma relação de amor em violência”, contou.

Muitas vezes, a violência surge de forma sutil, com palavras que magoam a mulher, podendo destruir sua autoimagem e autoestima. E partem para proibições fazendo com que a mulher se torne incapaz de decidir sobre atos de sua própria vida. Quando estas situações se tornam corriqueiras, é o momento de analisar e ver que o relacionamento não é mais saudável, e pode partir para atitudes mais violentas.

“Por isto, é importante ficar atenta a diversos fatores de controle e procurar ajuda, antes que ocorra a agressão, que além de marcar o corpo, marca a alma. Estamos prontas para te acolher e ajudar a enfrentar qualquer situação”, reforçou a coordenadora do Ciam.

O delegado titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Leandro Reis Dias, explica que quando a mulher sofre qualquer tipo de violência, seja de esposo, filho, parente, amigos, é usada como proteção a Lei Maria da Penha.

“Com o boletim de ocorrência será solicitada a medida protetiva que garantirá por lei o afastamento do agressor do meio familiar, dentro de 48 horas. A medida também garante a saída da mulher de casa com seus direitos preservados, proibição do contato do agressor com a vítima e familiares”, explica o delegado.

Caso a vítima observe o descumprimento da medida pelo agressor, deve comunicar imediatamente a delegacia de polícia.

Em briga de marido e mulher, mete-se a colher sim. A sociedade precisa estar atenta para o cumprimento da lei e para denunciar. É um compromisso de todos. Denuncie Disque 180!

Relatos

Toda quinta-feira, a Prefeitura de Caraguatatuba divulgará na página oficial do Facebook, uma minissérie com quatro histórias reais de mulheres assistidas pelo Ciam. Uma forma de encorajar outras mulheres a denunciar as agressões. Assista no https://www.facebook.com/prefeituradecaraguatatuba/.

O Centro Integrado de Atendimento à Mulher fica localizado na Av. Cuiabá, 400 – Indaiá. Telefone: 3883-9908. Horário de atendimento, das 8h às 17h.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.