• Fonte: Prefeitura de São Sebastião

São Sebastião faz alerta e orienta idosos sobre risco de quedas

Entre as consequências das quedas, a fratura no fêmur é uma das mais graves. O rompimento deste, que é o maior osso do corpo humano, tem grandes chances de impactar na qualidade de vida dos idosos.

Foto: Divulgação/PMSS

Em continuidade a 13ª Semana Municipal de Prevenção às Deficiências, a Prefeitura de São Sebastião, por meio da secretaria da Pessoa com Deficiência e Idoso (SEPEDI), juntamente à outras secretarias e instituições realizou uma extensa programação, com vivências, palestras e outras ações.

Na última segunda-feira (26) houve a vivência “Prevenção de Quedas”, ministrada pela fisioterapeuta e professora de educação física da Secretaria de Esporte (SEESP), Márcia Leite, além de atividades preventivas com o Departamento de Trânsito (DETRAF), centros de reabilitações, escolas técnicas e bombeiros, no Tebar. A abertura foi com o coral dos pacientes do CAPS que fazem a atividade no Centro de Referência da Pessoa com Deficiência e Idoso.

Segundo Juliana Coelho Araújo Carvalho, diretora de políticas públicas da SEPEDI, a palestra foi de extrema importância, pois o risco de queda de idosos tem aumentado significativamente e pode causar deficiências e risco de morte. “A prevenção é o melhor remédio, e por isso no município foi criado o ‘Programa de Prevenção de Quedas em Idosos’. A queda pode estar relacionada à fraqueza da musculatura, diminuição da visão, alterações do equilíbrio, e por isso a importância das atividades físicas e cuidados de saúde”, argumentou Juliana.

A fisioterapeuta Márcia Leite afirmou que aproximadamente 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade caem pelo menos uma vez por ano. “Depois dos 80 anos, essa porcentagem pode chegar a 50%. As quedas são um sinal de que algo que não está bem na saúde do idoso. Entre as consequências das quedas, a fratura no fêmur é uma das mais graves. O rompimento deste, que é o maior osso do corpo humano, tem grandes chances de impactar na qualidade de vida dos idosos. Cerca de 30% a 40% que quebram o fêmur não conseguem recuperar totalmente sua capacidade funcional, ou seja, deixam de realizar diversos movimentos. A queda é a principal causa de morte acidental entre os idosos, e é considerada um problema de saúde pública”, concluiu Márcia.

Para participar de palestras sobre a prevenção de quedas, que acontece durante todo o ano, basta dirigir-se a SEPEDI, assim como para inscrições em atividades físicas gratuitas. Mais informações pelo telefone: (12) 3892-2669.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.