• O Vale

Transporte de lixo custa R$ 60 milhões para os cofres do Litoral Norte

Segundo Instituto Polis, em média, Caraguá, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba gastam cerca de 10% do orçamento anual com lixo, uma porcentagem mais alta do que a da capital paulista, que é de 2%.

Lixo. Coleta em Caraguatatuba -  Foto: Divulgação

As quatro cidades do Litoral Norte desembolsam, anualmente, mais de R$ 60 milhões para realizar o transporte de lixo para aterros particulares no Vale do Paraíba. O levantamento foi feito pelo Instituto Polis.

De acordo com o estudo, em média, as prefeituras de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba gastam cerca de 10% do orçamento anual com lixo, uma porcentagem significativamente mais alta do que a da capital paulista, que é de 2%.

Ubatuba teria gasto de R$ 11 milhões anualmente para exportar seu lixo.

Em São Sebastião, o município recolhe mais de 180 mil toneladas por ano. No serviço de coleta e destinação final, a prefeitura gasta cerca de R$ 20 milhões anualmente.

Em Caraguatatuba, o gasto chega a R$ 8 milhões anuais, com exportação anual de cerca de 170 toneladas de lixo.

Ilhabela produz mais de 30 toneladas de lixo por dia e o custo do transbordo é de cerca de R$ 2 milhões por ano.

"Os custos para subir a serra transportando estes resíduos sólidos não são somente aos cofres públicos, mas também possuem altos custos e impactos ambientais. Ao invés disso, o ideal seria construir um consórcio para que boa parte disto seja feito no próprio litoral. Também seria uma solução para organizar cooperativas, gerar trabalho e renda", afirmou a coordenadora de resíduos sólidos do Instituto Polis, Elizabeth Grinberg.

Resíduos sólidos

O Governo do Estado assinou na última semana, por meio da Sima (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente), um protocolo de intenções com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais para desenvolver a cooperação técnica na gestão e gerenciamento de resíduos no território paulista. "O foco da gestão é a regionalização dos resíduos sólidos por meio de novas rotas tecnológicas, imagino que em breve faremos um estudo na região do Litoral Norte. Temos um comitê de resíduos sólidos instalado e o estado quer viabilizar, começando a agir promovendo soluções regionalizadas" explicou o assessor técnico em resíduos sólidos da Sima, José Valverde.

Em um ano, escolas de Ilhabela recolhem do aterro 145 toneladas de orgânicos

Mesmo em meio à uma crise de saneamento, mais de 25 escolas de Ilhabela recolheram mais de 145 toneladas de resíduos compostáveis em pouco mais de 11 meses.

A ação faz parte do projeto Escola Resíduo Zero, no qual a Secretaria de Educação de Ilhabela contratou a Morada da Floresta, empresa especializada em soluções ambientais com foco especial em compostagem.

De acordo com a empresa, com a ação, a Prefeitura da Ilhabela economizou cerca de R$ 84.796,07 aos cofres públicos em 2018. Cerca de 7.000 pessoas foram diretamente atingidas pelo projeto, entre alunos e funcionários.

Posts Relacionados

Ver tudo
[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.