• Mariana Lima, Observatório do 3º setor

Crescem as mortes de crianças por armas de fogo e afogamento

Afogamento é segunda principal causa de morte acidental entre crianças de 0 a 14 anos no Brasil. Trânsito é a principal.

Afogamento é segunda principal causa de morte acidental entre crianças de 0 a 14 anos no Brasil

O número geral de acidentes fatais envolvendo crianças e adolescentes de 0 a 14 anos diminuiu entre 2016 e 2017. Mas nem todos os números são positivos: as mortes de crianças por armas, afogamento, queimadura e intoxicação aumentaram.

De acordo com dados levantados pela ONG Criança Segura, por meio do Datasus, de 2016 para 2017 as mortes de crianças por disparo acidental de armas de fogo cresceram 95%; as mortes por intoxicação cresceram 6,76%; as por afogamento, 4,49%; e as por queimaduras, 3,83%.

Em 2017, 1.190 crianças de 0 a 14 anos morreram em acidentes de trânsito, 954 por afogamento e 777 por sufocação. Essas foram as principais causas de morte acidental nessa faixa etária.

Através da análise da Criança Segura, é possível observar que houve uma diminuição de 1,93% (de 3.733 para 3.661) no número de mortes de crianças por acidentes. Esse índice é o mais baixo desde 2011. A diminuição foi observada em mortes no trânsito (7,89%), por sufocação (5.93%) e em quedas (1,09%).

A organização chama atenção para o fato de que cada tipo de acidente afeta uma faixa etária específica. O sufocamento, por exemplo, é a principal causa de morte acidental de bebês com até um 1 ano. Os acidentes de trânsito são os principais responsáveis pelas mortes de crianças e adolescentes de 5 a 14 anos.

Desde 2001, ano em que a Criança Segura iniciou suas atividades, a redução nos óbitos de crianças e adolescentes chegou a um total de 40,86%. Até 2017, o sufocamento era a única causa de óbitos entre menores que apresentava aumentos.

Entre 2016 e 2017, de acordo com a análise da organização, as mortes por afogamento entre 1 e 14 anos obtiveram um aumento de 4,49% em contraste com a redução de óbitos nestes casos que vinha ocorrendo desde 2009.

Na classificação dos tipos de afogamento, o que apresenta o maior número de casos é o “afogamento e submersão em águas naturais”, refente a rios, córregos, mares e lagos, que foram de 339 em 2016 para 393 em 2017.

Armas de fogo

Outro aumento demostrado pelos dados se refere ao número de mortes por arma de fogo. Foram 20 mortes em 2016 e 39 no ano seguinte. Os casos envolvem as faixas etárias de 1 a 14 anos, com destaque para as meninas e meninos entre 1 e 4 anos, que representavam 9 mortes em 2017.

Número de mortes de crianças e adolescentes de zero a 14 anos no Brasil por tipo de acidente:

1º: Trânsito -1190 2º: Afogamento-954 3º: Sufocação-777 4º: Queimadura-217 5º: Quedas-181 6º: Intoxicação-79 7º: Armas de fogo-39 Outros: 224 Total: 3661

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.