• G1 Sul do Rio e Costa Verde

Comunidades de Angra dos Reis são ocupadas para instalação das UPPs

Policiais do Batalhão da Polícia Militar que atua na cidade estão recebendo capacitação para ações operacionais nos bairros Camorim Grande, Belém e Frade.

Ônibus das forças de segurança do Estado circulando por Angra dos Reis — Foto: Reprodução/Redes sociais

As forças de segurança do Estado do Rio de Janeiro começaram na manhã desta sexta-feira (10) a ocupação dos três bairros que vão receber Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio de Janeiro.

Participam das ocupações 150 homens do Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar.

As comunidades contempladas com as UPPs são Camorim Grande, Belém e Frade.

A movimentação na cidade começou desde cedo. Vários veículos, como ônibus, caminhões, camburões e viaturas das forças de segurança do Estado circulam por toda a cidade nesta sexta-feira, inclusive pela BR-101 (Rodovia Rio-Santos).

O secretário de Segurança Pública de Angra dos Reis, Douglas Barbosa, falou em entrevista ao vivo no RJ1 sobre como vai funcionar a ocupação.

"Nós recebemos esse policiamento a partir das 8h da manhã. Já tem 150 policiais [no local], deve chegar 200 policiais da força COE, Bope, Choque, BAC, GAM, além do próprio batalhão que está com efetivo extra também proporcionando mais segurança para a cidade. Hoje eles estão com as duas bases, uma no Centro da cidade, outra na Japuíba, na região do Dnit, em frente ao Areal e dali que vai irradiar o policiamento para as comunidades que vão sofrer, positivamente falando, essa ocupação", explicou.

Por volta de 15h, não havia sido registrado nenhum confronto durante as ocupações.

Até a publicação desta reportagem, a Polícia Militar não havia divulgado uma nota oficial sobre os primeiros passos instalação das UPPs nas comunidades.

Nas redes sociais, o governador Wilson Witzel publicou imagens de uma capacitação que os policiais do Batalhão da Polícia Militar que atua na cidade estão recebendo. O treinamento é voltado para as ações operacionais das UPPs e também para melhorar a atuação dos policiais no dia a dia na cidade.

O secretário falou ainda sobre esse treinamento dos policiais. "Nós recebemos já na data de ontem a força COE e o Centro de Instrução do COE, que está treinando o nosso efetivo do GAT e da P2, que vão também ajudar nessas operações de ocupação dessas três áreas", explicou Douglas Barbosa.

Aproximadamente 28 mil pessoas serão impactadas diretamente com a implantação das UPPs — esta é a estimativa da população que vive nestas três comunidades. A informação foi divulgada pela prefeitura, com base no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

População nos bairros:

  • Frade: 13.753

  • Belém: 9.199

  • Camorim Grande: 5.678

Os três bairros foram escolhidos para receber as UPPs por serem considerados os mais violentos do município. As comunidades sofrem com constantes brigas entre facções criminosas pelo controle do tráfico de drogas nas localidades.

Quem tiver qualquer informação que possa ajudar no combate ao crime no Sul do Rio de Janeiro pode entrar em contato com o Disque Denúncia através do número 0300-253-1177, ou pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ”. Nas duas plataformas, o anonimato é garantido.

Postos de saúde fechados

Por segurança, alguns postos de saúde foram fechados nesta sexta-feira: um no bairro Camorim Grande, um no Belém e outro no Frade (módulo 5), onde outras cinco unidades seguem funcionando normalmente. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da prefeitura.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.