top of page
  • Silviane Neumann

Não tem SUS para animais de estimação, mas deveria ter

No dia a dia da proteção animal nos deparamos muitas vezes com casos complicados, nos quais o animal está sem atendimento médico porque os tutores não possuem condições financeiras para dar prosseguimento ao tratamento. Uma situação corriqueira que poderia ser evitada se em Ubatuba houvesse um hospital veterinário gratuito.

Não tem SUS para animais de estimação, mas deveria ter - Silviane e Jack - Foto: Arquivo pessoal

Sai dia, entra dia a gente fica sabendo de casos de animais precisando de atendimento veterinário. Muitos deles não são animais em situação de rua. São animais que possuem tutores, bons tutores que se preocupam com o animal, mas nem sempre possuem condições de financiar um tratamento. Alguns desses casos são simples, mas com o tempo e a falta de tratamento evoluem para casos mais graves.

Tem muita gente que, lendo isso, irá pensar: “Ah, mas se não tem condições, nem deveria adotar um animal”. Não é bem assim. Tem casos e casos. Lógico que existem aqueles tutores que não estão nem aí e deixam o animal doente definhando no quintal. Mas também existem bons tutores que se preocupam de verdade com o animal e sofrem junto com ele, vendo o avanço da doença e sem poder fazer nada. Pessoas que estão passando por dificuldades e situações difíceis, momentâneas ou não. Cada caso é um caso. Nem por isso, achamos que o melhor seria que não tivessem animais, porque viver nas ruas não é vida. Mesmo vivendo uma vida simples, esses tutores cuidam dentro das suas possibilidades e amam seus animais.

Jack

O caso desta semana é emblemático. Os tutores do Jack nos procuraram algum tempo atrás pedindo ajuda para o tratamento. Ele estava doente e tinha um tumor na orelha. Corremos atrás de ajuda e conseguimos realizar os exames, os remédios para tratar a doença, tratar a miíase que ele também tinha e semana passada ele fez a cirurgia para a retirada do tumor.

Tudo o que o Jack sofreu, apesar de ter tutores preocupados que o amam de verdade, poderia ter sido abreviado se houvesse um hospital veterinário gratuito em Ubatuba. Aliás, um ambulatório gratuito já resolveria uma grande parte de casos como esse.

E assim como o Jack, muitos poderiam ter a saúde restabelecida se houvesse atendimento veterinário gratuito em Ubatuba.

Centro de Referência Animal

Inspirado no Centro de Referência Animal de Ilhabela, a atual gestão reformou o prédio na Estufa 1 com o propósito de ser um local que, além de prestar serviços médicos veterinários gratuitos, também trabalhasse a educação de crianças e adultos com relação à guarda responsável de animais de estimação. Todas as expectativas ficaram só na promessa.

Hoje em dia, o espaço que conta com sala de cirurgia, sala de preparação de animais e gaiolas está sendo utilizado apenas parcialmente, durante alguns dias da semana para a realização de castrações gratuitas.

O espaço tem muito potencial. Se houvesse real comprometimento com o bem-estar animal e vontade política suficiente para se oferecer serviços de qualidade para o cidadão, o CRA poderia, nessa mesma estrutura física, apenas com algumas reformas, concentrar consultas gratuitas com veterinários, implantação de microchip, vacinação gratuita, realização de exames simples laboratoriais e de imagem (como sangue, urina, fezes, raio-x e ultrassom) e cirurgias simples, além da castração. Tudo gratuitamente e com prioridade para os tutores de baixa renda.

Equipar um local assim não é tão difícil e nem tão caro. Mantê-lo também não, desde que haja boa vontade política para isso. E no fim, é uma situação que só tem vencedores.

Ganham os animais, os tutores que não possuem muitas condições financeiras e os protetores de animais que poderão se concentrar apenas em retirar das ruas os animais abandonados e doentes. Mas ganha principalmente o poder público. Além da popularidade, o canil do Centro de Controle de Zoonoses não ficará tão lotado e os profissionais de lá poderão se concentrar apenas em retirar das ruas os animais que representam riscos para a população, seja por doenças ou agressividade, que é a verdadeira missão de um canil municipal.

Aumenta-se o investimento no CRA, mas diminui bastante os gatos com o Centro de Controle de Zoonoses. Com os serviços oferecidos pelo CRA, a médio e longo prazos, a quantidade de animais em situação de rua irá diminuir consideravelmente e até a imagem da cidade irá melhorar. Porque todo mundo se compadece com animais abandonados e não tem nada mais feio para uma cidade turística que passar recibo que não se importa com o bem-estar animal e com o meio ambiente!

Inauguração do CRA - Foto: Arquivo pessoal

Silviane Neumann é ativista na causa animal. Desde 2009 atua em Ubatuba para melhorar as políticas públicas voltadas ao bem-estar animal. Através da Help Pet Ubatuba, suas ações são focadas em conscientização sobre guarda responsável de animais e em promover castrações e ajuda para tutores carentes. Como protetora, trabalha para tornar Ubatuba uma cidade que é contra a exploração animal e respeita os animais domésticos e silvestres, o meio ambiente e sua rica diversidade. Como cidadã, exige e cobra dos órgãos públicos que as leis destinadas ao bem-estar animal e à proteção do meio ambiente sejam cumpridas. Neste espaço, contará um pouco do seu dia a dia e as conquistas de Ubatuba nessa área. Além de expor as necessidades e também os contrassensos que vivencia em sua luta diária pelos animais e meio ambiente.

Posts Relacionados

Ver tudo
[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

bottom of page