top of page
  • G1 Sul do Rio e Costa Verde

Após estupro e assassinato em Paraty, novas vítimas procuram polícia para denunciar suspeito

Nesta quarta, o lituano Adam Zindul, de 37 anos, foi morto na Praia do Sono; criminoso também estuprou a esposa do turista. Segundo a polícia, vítimas também são da cidade; 'conseguimos, com essa prisão, resolver, no mínimo, quatro inquéritos pendentes', disse o delegado.

Suspeito de matar turista lituano é transferido para Casa de Custódia de Volta Redonda

Após a prisão do suspeito de matar o turista lituano Adam Zindul, de 37 anos, e de estuprar a esposa dele, novas vítimas de violência sexual em Paraty, na Costa Verde do Rio, procuraram a delegacia para denunciar Edson Santos. As informações são da Polícia Civil.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Marcelo Russo, as novas vítimas identificaram Santos, de 37 anos.

“Nós estamos agora recebendo várias outras mulheres que foram vítimas desse criminoso. Nós conseguimos, com essa prisão, resolver, no mínimo, quatro inquéritos que estavam pendentes”, disse o delegado.

O crime aconteceu na noite desta quarta-feira (5) dentro de uma casa que o turista havia alugado para passar férias na Praia do Sono. A esposa do lituano é brasileira, de São Paulo, e tem 35 anos.

Após o estupro, ela foi socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Paraty. A unidade informou que a vítima passou por avaliação ginecológica e teve acompanhamento de uma assistente social. Até a última atualização desta reportagem, ela permanecia internada em observação.

O suspeito, também morador de Paraty, foi preso nesta quinta-feira (6) e depois transferido para a Casa de Custódia de Volta Redonda nesta sexta-feira (7). Ele deve passar por audiência de custódia ainda nesta sexta.

O G1 não havia conseguido contato com a defesa do suspeito até a ultima atualização desta reportagem.

Segundo o delegado, a esposa do turista contou que vinha sendo assediada pelo suspeito. Ele vinha fazendo um serviço de capina no quintal da residência fazia dois dias. Segundo Russo, a vítima disse que ele "jogava indiretas e vinha olhando para ela de um jeito estranho".

Segundo a Polícia Civil, Edson Santos tem passagens por tráfico de drogas, estupro e estupro consumado.

Outras mulheres relataram estupro

Após a prisão, mulheres que haviam procurado a delegacia anteriormente para denunciar casos de estupro identificaram Santos como autor dos crimes. De acordo com elas, ele usava máscara para estuprá-las — mas características físicas as ajudaram a identificá-lo (tatuagens, tom de pele, estatura).

Ainda de acordo com a polícia, a mãe do suspeito foi informada sobre a prisão. No entanto, nenhum familiar ou advogado procurou a delegacia.

“A própria mãe dele não acredita na inocência dele. E a mãe mandou um recado pra ele. Ela disse que ‘o que aqui se faz, aqui se paga’”, afirmou o delegado.

Russo pede que outras mulheres que desejem denunciar o criminoso, procurem a 167ª Delegacia de Polícia de Paraty. O anonimato é garantido às vítimas.

Criminoso vinha assediando mulher

De acordo com polícia, na noite do crime, a casa estava toda trancada e a mulher estava tomando banho. Por volta de 22h30, ela abriu a porta para pendurar a toalha do lado de fora, momento em que foi rendida pelo suspeito que estava com uma faca. O homem fez ela amarrar o marido na cadeira e a levou para o quarto.

A polícia disse ainda que o suspeito amarrou as mãos dela na cama, a agrediu e ela acabou desmaiando. O criminoso achou que a mulher havia morrido e a estuprou. Após o crime, ele matou o turista e foi embora. Ela acordou, conseguiu se soltar e foi atrás de ajuda.

De acordo com Russo, o suspeito não demonstrou nenhum arrependimento do crime.

“Ele é uma pessoa muito fria, não demonstrou nenhum sentimento, nenhum remorso das ações dele. Realmente um psicopata. Essa pessoa que hoje foi presa, não deveria estar em liberdade”, disse o delegado.

O homem foi indiciado por homicídio qualificado, estupro e tentativa de feminicídio.

O turista já havia sido morto quando os policiais chegaram à residência. Com várias marcas de ferimentos, o corpo estava com os braços e as pernas amarrados em uma cadeira, e a cabeça, coberta com um pano. Havia sangue no local.

O corpo de Adam permanecia no Instituto Médico Legal de Angra dos Reis na manhã desta sexta.

O Consulado Geral da Lituânia em São Paulo informou que foi notificado oficialmente sobre a morte do turista na quinta-feira (6). Disse ainda que está auxiliando a família do lituano e que não está autorizado a comentar sobre enterro ou traslado do corpo.

[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.

bottom of page