• Silviane Neumann

Castrações gratuitas, bem-estar animal e a completa incapacidade da prefeitura de Ubatuba em oferece

Controle populacional de cães e gatos é dever do município, segundo a lei federal nº 13.426/17. Mesmo assim, para a atual administração da cidade, cães e gatos só servem mesmo para políticos e falsos protetores posarem de bons cidadãos. E para fotos também. Com as constantes interrupções na prestação desse serviço, a população de animais errantes continua a aumentar dia a dia. E toda a população sofre com seus efeitos.

Castração no CRA - Foto: Arquivo pessoal

Eu sou cidadã e faço a minha parte todos os dias. Conheço meus direitos e meus deveres também e, sendo assim, sei que estou no meu direito de cidadã cobrar que um serviço prestado por um órgão público seja feito de maneira correta e eficiente. Ainda mais um serviço que está previsto em lei municipal cuja verba sai dos impostos do contribuinte, como as castrações gratuitas oferecidas pela prefeitura de Ubatuba.

Não bastasse o Castramóvel ter ficado parado por mais de 4 meses, sem uso e com mais de 60 animais já registrados para serem castrados, esta semana ficamos sabendo da demissão da veterinária responsável pela maioria das cirurgias de castração. Pois é, não dá para acreditar no descaso que a atual administração de Ubatuba trata um serviço tão essencial e cuja obrigatoriedade está prevista em lei federal.

Aliás, desde seus primeiros dias, essa administração só faz quando é cobrada em redes sociais. Parece que espera a poeira baixar para parar ou diminuir o ritmo das castrações, esperando que o povo se contente com pouco. Não é assim que funciona. Estamos de olho e não nos contentamos com migalhas.

A publicidade só é boa quando o produto é bom. E no caso dessa administração só o que vemos são fotos, notícias mentirosas e meias verdades publicadas nas redes sociais e mídias digitais na esperança de enganar os mais ingênuos.

Tudo o que se refere ao bem-estar animal é assim. A prefeitura não tem boa vontade nenhuma nessa área e quando faz, o faz para tirar proveito da situação e aparecer bem na foto.

É o caso do CRA – Centro de Referência Animal, inaugurado com pompa e circunstância na antiga sede da Sei-cho No Ie, na Estufa I. O prédio, depois de reformado, tem capacidade para abrigar consultório veterinário, sala de cirurgia e sala de preparação cirúrgica. O potencial que o CRA teria para oferecer serviços básicos em saúde animal para a população de baixa renda se perdeu na falta de vontade política e na incapacidade de administração do local pela prefeitura. Hoje, o espaço serve apenas para realizar algumas poucas castrações, muito poucas mesmo e geralmente de animais machos, que são feitas pelo atual veterinário.

Esperando a castração no CRA - Foto: Arquivo pessoal

Castramóvel

Aliás, falta de vontade também permeia toda a história do Castramóvel. A verba para a aquisição foi concedida pelo Deputado Federal Ricardo Izar, que sempre se elege levantando a bandeira da proteção animal (?!), após pedido do vereador Rochinha do Basquete. Vejam bem que quem foi pedir a verba foi o vereador Rochinha do Basquete. A aquisição levou mais de um ano para se concretizar, lógico que essa parte é da prefeitura que precisa enviar documentação e cumprir prazos para não perder a verba, e o veículo foi entregue em março de 2019 com toda festa, alarde e fotos que foram possíveis. Mas funcionar que é bom, aí é outra história.

No início, até tínhamos a esperança de que fosse engrenar. Mas, de repente, o veículo sumiu e o serviço deixou todo mundo na mão. Depois de 4 meses sem fazer nenhuma castração, algumas semanas atrás foi encontrado às moscas no pátio da Regional Norte. Depois da repercussão negativa das publicações feitas em redes sociais, a prefeitura acordou e colocou novamente, assim dizem, o veículo para funcionar.

Lógico que foi feito alarde sobre o assunto. E, lógico que foi mentiroso. Sabe aquela história que mentira tem perna curta, pois é, a verdade sempre aparece.

Com o desligamento da veterinária, nunca que seriam castrados dentro de um trailer, em apenas um dia, 60 animais como foi anunciado. Aliás, nenhum veterinário, com toda a experiência e técnica que possui, consegue castrar esse número de animais em apenas um dia. Cada castração, entre anestesia e procedimento, dura, no mínimo 20 minutos. São 3 animais por hora. Isso tendo uma equipe para ajudar na recepção e preparação do animal e na recuperação também. Para se castrar 60 animais, como foi alardeado, seriam necessárias 20 horas de trabalho. O que sabemos que não aconteceu.

Sabemos de fontes seguras que foram apenas 4 castrações feitas no dia. E que 60 animais estão cadastrados para a castração no bairro Puruba. Percebem aí a indução ao erro? A manipulação da verdade?

E para piorar toda a situação, não contrataram nenhum outro veterinário para cobrir o lugar da que se desligou. E então, as castrações ficam como? Apenas as clínicas conveniadas? Absurdo né? Com um veículo próprio para o serviço e um espaço equipado especialmente para atender animais de estimação, a prefeitura de Ubatuba prefere pagar, com o nosso dinheiro, diga-se de passagem, clínicas particulares para suprir a demanda. Tudo bem, até certo ponto, se a demanda fosse suprida, mas temos perfeita ciência de que não é isso o que acontece.

Todas as interrupções no serviço, todas as falhas e a ineficiência da prefeitura em prestar um serviço de qualidade no que se refere à castração de cães e gatos já podem ser observadas nas ruas. São muitos animais procriando e um número cada vez maior de animais abandonados à própria sorte. Não vou citar o desconforto que é para os turistas que visitam a cidade e saem daqui indignados com o que presenciam. Ouço vários relatos diariamente de pessoas que se deparam com um animal precisando de ajuda em praias ou perto dos locais onde estão hospedados.

Mas o que mais me deixa indignada é que todos nós, protetores e ativistas da causa animal, vemos nosso trabalho aumentar e ficar cada dia mais longe do objetivo final que é o bem-estar animal só porque a prefeitura não está nem aí para o assunto. Todos os dias, atendemos casos de animais errantes que precisam de um lar. A maioria deles também precisa de tratamento. E tudo isso poderia ser evitado se a prefeitura cumprisse a parte que lhe cabe e oferecesse um serviço decente. Aliás, se prefeitura cumprisse com as leis, porque o controle populacional de cães e gatos pelo município é garantido também por lei federal (Lei nº 13.426, de 30 de março de 2017).

Mas o que dá ibope é festinha com fotinhos nas redes sociais de políticos e falsos protetores enganando o povo. #SQN, porque estamos de olho!

Número de animais nas ruas aumenta a cada dia - Foto: Arquivo pessoal

Silviane Neumann é ativista na causa animal. Desde 2009 atua em Ubatuba para melhorar as políticas públicas voltadas ao bem-estar animal. Através da Help Pet Ubatuba, suas ações são focadas em conscientização sobre guarda responsável de animais e em promover castrações e ajuda para tutores carentes. Como protetora, trabalha para tornar Ubatuba uma cidade que é contra a exploração animal e respeita os animais domésticos e silvestres, o meio ambiente e sua rica diversidade. Como cidadã, exige e cobra dos órgãos públicos que as leis destinadas ao bem-estar animal e à proteção do meio ambiente sejam cumpridas. Neste espaço, contará um pouco do seu dia a dia e as conquistas de Ubatuba nessa área. Além de expor as necessidades e também os contrassensos que vivencia em sua luta diária pelos animais e meio ambiente.

Posts Relacionados

Ver tudo
[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.