• Eduardo César

Dia do Trabalhador

Atualizado: 2 de mai.




Ao celebrarmos no dia primeiro de maio o Dia do Trabalhador, o fazemos de forma automática, como ocorre em tantas outras ocasiões em que o feriado, ou a festa, colocam em segundo plano o motivo e a importância da comemoração.

No entanto, a comemoração neste ano nos leva a reflexão. Há alguns dias lemos a notícia de um prefeito da cidade vizinha, São Sebastião, estar pedindo na justiça seus direitos como “trabalhador”,ou seja, férias, décimo terceiro salário e demais benefícios, causando indignação.

O político dissimulado e cara de pau não é o primeiro. Já vimos atitudes imorais e que dão nojo, idênticas a essa, com dois ex-prefeitos, um de Caraguatatuba e outro de Ubatuba, enquanto o eleitor, que paga impostos em tudo que faz ou consome, sofre com desemprego, sem cobertura mínima de saúde, com pouca segurança, sem infraestrutura nos bairros e sem ações de cultura e lazer. Também sofre correndo atrás de seu sustento na economia informal, isso mesmo, quem vota e paga o salário e demais vantagens de pessoas frias e que se acham mais espertas porque foram eleitas, em sua maioria, não têm os benefícios que os malandros estão pedindo.

Revolta saber que políticos chegam ao fundo do poço da moralidade ao pedirem que o judiciário os reconheça como meros trabalhadores, eles devem sim trabalhar, afinal foram eleitos para isso, ganham altos salários,têm a disposição assessores, carros de luxo, combustível, telefone,passagem aérea, hospedagem, refeições, e mais uma série de vantagens, todas pagas pelo trabalhador.

Resta ao trabalhador ubatubense seguir na sua luta diária e se contentar com uma festa por ano. E, por falar em festa, a nossa vem sofrendo nos últimos anos com o encolhimento, diminuição e por que não dizer a falta de prestígio por parte das entidades governamentais. Essa festa ocorre no bairro onde há uma das maiores concentrações de trabalhadores da cidade, o bairro do Ipiranguinha, conhecido por todos os políticos eleitos ou não, todos de alguma forma pediram voto para algum morador ou alguém ligado ao bairro.


Nesse ano não houve a festa por falta de segurança, justificativa dada após todos estarem preparados para a festa, expositores, artistas, moradores e até políticos, que nunca deixam de aparecer na tradicional festa, que outrora ostentava a justa posição de uma das mais importantes da cidade.

A alegada falta de segurança que expõe o bairro como um local violento é injusta com a grande maioria de seus habitantes, que são trabalhadores responsáveis pelo desenvolvimento e progresso da cidade, e principalmente as forças de segurança, afinal em tantos anos de festa sem nenhum incidente grave, difícil acreditar que as forças de segurança do município e do estado seriam insuficientes para manter a ordem em uma festa onde as famílias formam o público predominante.

Enfim, entre políticos sem vergonha de pedir direitos trabalhistas e trabalhadores sem direito a comemorar uma data em sua homenagem, fica aqui meu registro de parabéns a todos os trabalhadores de nossa cidade, desejando que o futuro seja melhor.


[ Charge ]_______________________________

Deixe aqui sua opinião de tema e comentários

Obrigado! Mensagem enviada.